Futebol/Mundial de Clubes - ( )

Atuação do Corinthians e má fase do Chelsea são destaques pelo mundo

São Paulo (SP)

Com referências às previsões maias ao fim do mundo e com críticas à apatia do Chelsea e ao técnico Rafa Benítez, a vitória do Corinthians por 1 a 0 sobre os ingleses no Mundial de Clubes repercutiu em jornais dos principais polos do futebol europeu. Entre os britânicos, além das cobranças ao treinador, o tom era de decepção com o segundo fracasso dos Bluesem poucas semanas.

Depois de ser o primeiro campeão da Liga dos Campeões a ser eliminado na edição seguinte do torneio, o time de Londres foi o primeiro time europeu a não ficar com o título mundial nos últimos seis anos, algo que não acontecia desde o Barcelona desde 2006, quando o Barcelona caiu diante do Internacional.

Com boa passagem pelo futebol alemão, o peruano Paolo Guerrero foi o principal destaque corintiano nas manchetes de The Sun e The Guardian. Além do autor do gol decisivo, o goleiro Cássio foi elogiado, chegando a ser apelidado de Tigre pelo segundo, que também valorizou os “milhares de São Paulo que foram a Yokohama”. Já o primeiro, principal tabloide do Reino Unido, chamou o fracasso do Chelsea de “Fim do Mundo”.

Os jornais britânicos também destacaram o novo fracasso de Benítez diante de brasileiros, já que em 2005, no comando do Liverpool, o espanhol viu seu time perder imensa invencibilidade ao levar um gol do volante Mineiro e parar nas defesas de Rogério Ceni. Se Cássio repetiu o arqueiro são-paulino ao ser eleito o melhor do Mundial, Benítez voltou a ser assombrado pelos gols anulados. Depois de três em 2005, o técnico viu seu pupilo Fernando Torres mandar para as redes e o trio de arbitragem da Turquia anulou o tento.

Reprodução/The Sun
Tabloide fez referências às previsões sobre o fim do mundo para criticar o péssimo momento do Chelsea
A péssima atuação de El Niño também não foi perdoada pelos ingleses. Contratado a peso de ouro, o centroavante se notabilizou pelos gols perdidos e, após melhora nas últimas partidas, voltou a falhar e foi apelidado de Fernand’oh pelo Daily Mirror, em alusão ao som de lamento da torcida com as chances desperdiçadas.

Outro ponto valorizado dos comandados de Tite foi a forte marcação envolvendo todos os jogadores da equipe. O tabloide também destacou a defesa “com a ponta dos dedos” de Cássio em chute do nigeriano Victor Moses, um dos mais criticados pela mídia inglesa.

Já no site oficial da Fifa, responsável pelo torneio, Guerrero foi o principal destaque em todas as versões europeias, enquanto Cássio foi protagonista na versão brasileira, que falou em “Bando de loucos no topo do mundo”. A entidade máxima do futebol ressaltou a tristeza demonstrada pelos brasileiros do Chelsea após a derrota, principalmente o choro do zagueiro David Luiz.

Na Espanha, o Marca chamou a derrota dos londrinos de “decepção mundial” e exaltou a atuação de Emerson Sheik, o “dono e senhor das batutas” no segundo tempo. Em nota sobre os três melhores jogadores do Mundial, o jornal espanhol tratou Cássio como “providencial”, Guerrero como “perigoso” e cometeu gafe ao chamar David Luiz de “defensor português”.

Reprodução/The Sun
Espanhóis, assim como italianos, exaltaram a qualidade corintiana e criticaram os ingleses
No próprio Marca, o colunista Marcos López fez sua análise da partida com o título “A voz do povo, Timão campeão” e ressaltou a importância que o Mundial de Clubes vem ganhando nos últimos anos, principalmente pela maneira como as equipes sul-americanas disputam as partidas: “Jogam como se fosse o último dia e seus times estão cheios de talento e jogadores importantes”.

O trabalho do “estratégico”, porém “defensivo”, Tite também foi elogiado pelo colunista, que elegeu a dupla formada por Ralf e Paulinho como grande trunfo do Corinthians. Segundo ele, os dois volantes têm potencial para atuar em times europeus. López ressaltou a possibilidade de Tite manter jogadores do nível de Juan Martínez e Romarinho no banco de reservas e o forte poderio econômico do clube de Parque São Jorge. Sobre o Chelsea, elogios apenas ao espanhol Juan Mata e às poucas “faíscas” do belga Eden Hazard.

O italiano Gazzetta dello Sport inicia seu relato da partida com “Sambódromo no Japão” e rasga elogios à atuação do Timão no segundo tempo. Para o jornal, além de dominar os Blues tecnicamente, o Corinthians mostrou força física. O destaque ficou para o trio Paulinho, Emerson e Guerrero. O camisa 8, inclusive, é constantemente citado pelo site italiano devido ao interesse da Internazionale em contar com seu futebol.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade