Futebol/Mundial de Clubes - ( - Atualizado )

Corintianos veem ansiedade como obstáculo e valorizam meta cumprida

Toyota (Japão)

Ao longo dos últimos meses, Tite tentou alertar os jogadores do Corinthians de várias maneiras sobre a armadilha da primeira partida no Mundial. Nesta quarta-feira, eles sentiram na prática a dificuldade e citaram a ansiedade como um dos grandes problemas.

“Houve uma ansiedade, uma ansiedade normal até. Não fizemos um grande jogo, não demos espetáculo, mas nosso objetivo era chegar à final. Chegamos. Jogamos melhor no primeiro tempo do que no segundo, mas conseguimos o objetivo”, disse Paulinho à TV Globo.

Danilo adotou a mesma linha do volante. “Hoje em dia, não tem mais jogo fácil. Eles tocam bem a bola e se movimentam bastante. Tem a ansiedade pela estreia, o nervosismo conta bastante também”, afirmou o meia, aliviado com a classificação.

Já Chicão citou o “peso da estreia” antes de valorizar vaga na decisão. Agora o Timão espera o vencedor do confronto entre Chelsea e Monterrey, que medirão forças nesta quinta-feira, no Estádio Internacional de Yokohama.

“O favorito é o Chelsea. Vai ter que lutar bastante para passar, mas acredito que passe. Agora vamos procurar descansar e também assistir ao jogo, analisar o nosso próximo adversário”, disse Chicão.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Paulinho leva entrada mais forte de Rabia no duro confronto do Corinthians com o Al Ahly

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade