Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Desafeto de Blatter, Bin Hammam não trabalhará mais com futebol

Zurique (Suíça)

Mohamed bin Hammam não exercerá mais nenhum cargo no futebol mundial. Acusado de ter praticado diversas ilegalidades administrativas nos últimos anos, o dirigente catariano abriu mão de seus cargos nesta segunda-feira e pediu demissão do Comitê Executivo da Fifa e da presidência da Associação Asiática de Futebol (AFC).

Hammam é um dos principais desafetos do presidente da Fifa, Joseph Blatter. O dirigente foi acusado de tentar comprar votos nas eleições para a presidência da entidade, em 2011, e precisou desistir de sua candidatura após o episódio se tornar uma polêmica internacional. À época, o secretário-geral da Concacaf, Chuck Blazer, foi o responsável pela denúncia contra o catariano.

Agora, o dirigente terá de responder por outras acusações na Justiça. A Comissão de Ética da Fifa concluiu as investigações sobre desvios de dinheiro promovidos por Hammam na Associação Asiática de Futebol. O mandatário já teve o seu nome ligado ao processo movido nos bastidores da entidade e poderá sofrer novas medidas cautelares nos próximos dias.

AFP
O catariano Mohamed Bin Hammam não responderá mais por nenhum cargo administrativo no futebol mundial

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade