Futebol Internacional/Bastidores - ( - Atualizado )

Documento revela que Inglaterra cogitou boicotar Copa da Espanha

Londres (Inglaterra)

O Arquivo Nacional do Reino Unido divulgou, nesta sexta-feira, documentos referentes à Guerra das Malvinas, disputa que envolveu Argentina e Inglaterra, iniciada em abril de 1982. Os arquivos revelam que a seleção inglesa cogitou não participar da Copa da Espanha, realizada no mesmo ano, e vencida pela Itália.

Uma ala do governo britânico defendia o boicote à competição. Mas a primeira-ministra Margaret Thatcher, em acordo com as federações de futebol dos países que compõem o Reino Unido, decidiu que a seleção disputaria a competição.

O Ministério do Esporte exortava - dois meses antes do início da Copa, quando o conflito começou - os atletas britânicos a não participar de nenhum tipo de esporte de contato que tivesse como oponente os argentinos.

“Eu peço para não praticarmos esportes de contato com representantes da Argentina, nem mesmo entre clubes ou individual, em solo britânico. Essa política se aplica igualmente a todos os esportes na Argentina”, diz uma diretiva assinada pelo então ministro do Esporte britânico Neil Macfarlane.

Alguns dias depois, Macfarlane escreveu um novo documento, em que expressava a repulsa dos atletas britânicos por jogar um torneio do qual a Argentina seria uma das seleções participantes.

“Há uma semana ou dez dias eu recebi a notícia de que as Autoridades do Futebol devem decidir sobre sua participação. No entanto, a perda de vidas britânicas no HMS Sheffield e Sea Harriers teve efeito em alguns jogadores e administradores. Eles sentem repulsa de jogar em um mesmo torneio que a Argentina em tempos como estes”.

Por fim, Inglaterra, Irlanda do Norte e Escócia (países que integram o Reino Unido) decidiram disputar a Copa do Mundo de 1982. Argentina e Inglaterra, ambas eliminadas na segunda fase, acabaram não se encontrando na competição. A Irlanda também caiu na segunda fase. Já a Escócia, foi desclassificada logo na primeira fase.

Curiosamente, as duas seleções acabaram se encontrando no Mundial seguinte. No dia 22 de junho de 1986, no México, argentinos e ingleses se cruzaram nas quartas de final e a partida no estádio Azteca, na Cidade do México, entrou para a história do futebol.

Depois de primeiro tempo sem gols, Diego Maradona chamou a responsabilidade e abriu o placar com "La mano de Dios" após bola mal cortada pela defesa. O tento irregular deixou os britânicos atordoados e, quatro minutos depois, Dieguito deu o golpe de misericórdia ao fazer fila desde o meio de campo, deixando cinco marcadores e o goleiro Peter Shilton no chão para fazer um golaço.

No final da partida, o artilheiro Gary Lineker ainda descontou, mas não evitou a eliminação inglesa diante da Argentina, que viria a conquistar o bicampeonato ao bater a Alemanha. Em entrevistas, jogadores argentinos, incluindo Maradona, consideraram o go de mão como uma revanche ao que eles consideram um 'roubo' territorial inglês.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade