Futebol/Mundial de Clubes - ( - Atualizado )

Rafa Benítez diz que Chelsea poderia vencer o Corinthians facilmente

Londres (Inglaterra)

A derrota na final do Mundial de Clubes da Fifa não diminuiu a autoconfiança do técnico Rafael Benítez. Após retornar a Londres nesta terça-feira, o treinador comentou sobre o revés por 1 a 0 sofrido para o Corinthians e disse que o Chelsea poderia ter conquistado o título facilmente. O seu principal obstáculo, porém, tinha um nome: Cássio.

“Nós criamos muitas chances. E o goleiro deles acabou sendo eleito o melhor jogador”, declarou Benítez. “Nós poderíamos ter vencido facilmente a final do Mundial se tivéssemos marcado primeiro. O nosso adversário chegou ao Japão há 15 dias e estava se preparando e esperando pela gente. Estou orgulhoso dos meus jogadores”, completou.

Mesmo com as desculpas dadas ao seu torcedor, o técnico espanhol mostrou não ter conhecimento da preparação alvinegra. Ao contrário do que o treinador afirmou em sua entrevista, o Corinthians desembarcou no Japão em 6 dezembro. Enquanto o Timão entrou em campo pela primeira vez contra o Al Ahly, no dia 12, o Chelsea chegava ao País em 9 para estrear no torneio no dia 13.

AFP
Rafael Benítez não se importou com o título corintiano e disse que o Chelsea poderia ter vencido facilmente
Além de ressaltar a forma como Tite gerenciou o desgaste do fim de temporada no Corinthians, Benítez também comentou sobre a maratona de jogos enfrentada por sua equipe. Segundo o comandante, as seguidas partidas na Liga dos Campeões e o no Campeonato Inglês foram determinantes para que os seus jogadores sofressem com o excessivo cansaço no continente asiático.

“Nós jogamos oito jogos em 24 dias. Não é fácil, mas é uma situação que não podemos controlar e temos que gerenciar isso”, resumiu. Com o novo revés sofrido nesta temporada, Benítez também precisará administrar a insatisfação da torcida e da própria diretoria. Antes do Mundial, a imprensa inglesa especulava que uma derrota no Mundial poderia ser determinante para a diretoria se livrar do espanhol e buscar outro nome no mercado. Contudo, a relutância de Guardiola em aceitar o cargo dificulta os planos de Abramovich para 2013.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade