Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Aguardando liberação de Breno, São Paulo ajuda família do zagueiro

São Paulo (SP)

Acusado de iniciar incêndio em sua casa, em 2011, e condenado a três anos e nove meses de prisão, o zagueiro Breno firmou contrato com o São Paulo válido até 7 de outubro de 2015. Detido desde julho deste ano, o defensor tem presença incerta no time tricolor na próxima temporada, já que depende de liberação da justiça alemão para retornar ao futebol. Apesar da incerteza, o clube tricolor já presta auxílio aos familiares do atleta.

O vice-presidente de futebol do São Paulo, João Paulo de Jesus Lopes, confirmou, nesta quinta-feira, que a agremiação paulista tem acompanhado a situação de Breno na penitenciária de Stadelheim e dado ajuda financeira a família do zagueiro. Além disso, colocou advogados à disposição para tentar a liberação do ex-jogador do Bayern de Munique, que foi revelado pela equipe tricolor em 2007.

“Nossa primeira ação é de solidariedade. Como ex-atleta nosso, muito querido, ele merece toda consideração. Soubemos que a família estava tendo dificuldades, e nos prontificamos a ajudar financeiramente. Já estávamos dando auxílio jurídico. Finalizamos essa situação toda com esse vínculo junto ao São Paulo. Hoje ele tem um contrato de três anos conosco e, após sua liberação, adequaremos sua remuneração a de um jogador profissional”, explicou o dirigente em entrevista à Rádio Estadão/ESPN.

Com a presença de Breno incerta no time comandado pelo treinador Ney Franco em 2013, o São Paulo acertou a contratação do experiente zagueiro Lúcio, 34 anos, que estava defendendo a Juventus (Itália). Para o setor defensivo, o clube tricolor ainda conta com Rafael Toloi, Rhodolfo, Paulo Miranda, Edson Silva, João Filipe e Luiz Eduardo.

“Nosso elenco é muito qualificado, mostrou isso neste segundo semestre. Terminamos o ano não apenas com eficácia, mas também apresentando um bom futebol. Nossas necessidades não são tão amplas, são reduzidas. Já fizemos algumas contratações, como Aloísio (ex-Figueirense) e Lúcio. Temos algumas contratações encaminhadas e próximas de concretização. O que ainda nos falta é esse nome de alta expressão e que há uma possibilidade de ser fechado”, encerrou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade