Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Clássico com duas torcidas no Mineirão será decisão do Cruzeiro

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

O primeiro jogo do novo Mineirão, que será reaberto na próxima sexta-feira, será o clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG marcado para o dia 03 de fevereiro, que terá mando da Raposa. O presidente celeste, Gilvan de Pinho Tavares, cobra da direção atleticana a assinatura de um documento garantindo que os jogos entre os rivais terão a torcida das duas equipes.

Para que isso aconteça, os clássicos terão que ser jogados no Mineirão e não no Independência, estádio que o Galo tem preferência para mandar os jogos. O mandatário alvinegro, Alexandre Kalil, afirmou que a decisão sobre o jogo do Campeonato Mineiro caberá ao Cruzeiro, que é o mandante da partida.

“Essa história é a seguinte. O futebol é algo muito engraçado. O mando do clássico é do Cruzeiro. Nós temos um clássico marcado para o primeiro semestre, que é Cruzeiro e Atlético-MG. O Cruzeiro decide o que vai fazer com o clássico, ele é dono do espetáculo. Se o Cruzeiro está abrindo mão de ser o dono do espetáculo para dar esse direito a alguém, isso é coisa que o Atlético-MG não faz”, disse Kalil em entrevista à TV Horizonte.

Questionado sobre o Atlético-MG mandar jogos no Mineirão, já que o Cruzeiro acertou um contrato com a Minas Arena, empresa que vai administrar o estádio, para ter vantagens e preferências em seus jogos, e o Galo tem compromisso semelhante com a administradora do Independência, Kalil garantiu que o Atlético-MG usará o gigante da Pampulha sempre que necessário.

“O Atlético-MG tem no contrato que poderá usar o Mineirão quando quiser. Falta informação à imprensa mineira. Existem 66 datas e a Minas Arena é obrigada a entregar 50 mil ingressos de estacionamento. O Galo marca a data e joga. Isso está em edital, objeto do documento de licitação”, comentou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade