Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

De olho no bi da Libertadores, corintianos ‘sabem pouco’ dos rivais

Gabriel Carneiro, especial para a GE.Net São Caetano do Sul (SP)

Foram definidos, na última sexta-feira, os grupos da Copa Libertadores de 2013, ano em que o Corinthians tentará seu bicampeonato continental. Cabeça de chave do Grupo G, o atual campeão mundial terá pela frente o San José de Oruro, da Bolívia, o Millonarios, da Colômbia, e o Tijuana, atual campeão mexicano. Segundo os jogadores do Timão, os principais desafios na busca pelo bi serão o desconhecimento em relação aos rivais e a altitude, que será encarada duas vezes.

Além do time boliviano, que joga a 3,7 mil metros acima do nível do mar, índice maior até mesmo que o da capital La Paz, o Millonarios também impõe dificuldades neste sentido, já que Bogotá está a 2,6 mil metros. Quanto ao Tijuana, atual campeão nacional, o grande problema será a distância de 10 mil km para a segunda maior cidade mexicana. Para o volante Ralf, o grupo corintiano é maduro o suficiente para superar qualquer tipo de adversidade.

“Difícil é a Libertadores, não um confronto só. Todos são difíceis. Mas só vamos saber o que nosso adversário pode apresentar quanto estivermos disputando essa competição, porque são times estrangeiros, de catimba e de pegada”, analisou Ralf, sem tentar descrever os futuros adversários do Timão. “No Corinthians tudo é maior. A cobrança é maior, a pressão é maior, porque precisamos almejar algo a mais e estamos focados nesse objetivo”, completou o camisa 5, adiantando a pressão que o grupo deve sofrer para manter o título.

Assim como Ralf, o reserva Guilherme também preferiu não comentar sobre os rivais do Corinthians na primeira fase da Libertadores. Primeiro reforço da equipe após o título de 2012, o ex-jogador da Portuguesa disputará pela primeira vez a principal competição continental. De olho em mais oportunidades na equipe do técnico Tite, o camisa 35 admite: sabe muito pouco a respeito dos futuros adversários.

“Estamos em férias e dentro do grupo ainda não conversamos sobre a Libertadores. Eu sei que não são times de nome, que todo mundo conhece, mas serão difíceis do mesmo jeito. Todos os brasileiros têm condição de ir bem na competição, inclusive o Corinthians. Acho que a altitude vai ser o grande rival, mas o Corinthians está preparado para jogar qualquer campeonato. Vamos nos preparar bem de novo para vencer”, completa Guilherme.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade