Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Diretor do Palmeiras faz clamor para Nobre assumir presidência na 2ª

São Paulo (SP)

Piraci Oliveira ainda é o diretor jurídico da gestão de Arnaldo Tirone, mas resolveu atacar tanto o presidente que foi além do que considerar sua administração “a segunda pior história do clube”. Em seu Twitter, o dirigente pediu para os presidenciáveis (inclusive Tirone) não se candidatarem, deixando Paulo Nobre assumir o clube já a partir desta segunda-feira.

“Faço um clamor: que todos presidenciáveis desistam em favor do Nobre, que já poderia assumir segunda feira! Seria o sensato!”, escreveu Piraci, alegando preocupação com o tempo perdido até as eleições, marcadas para 21 de janeiro. “Estamos todos empenhados em antecipar as eleições. Ainda que seja quase impossível, estamos tentando. A solução seria a desistência dos outros candidatos”, reforçou.

Apesar da campanha, o diretor jurídico diz que ele – e seu grupo político – não votará em ninguém, nem assumirá outro cargo. “Eu me aposento em 21/01/2013. Não irei nem votar. É tudo muito triste”, lamentou. “Qualquer que seja o vencedor, não estarei em nenhum posto. Isso é certeza. Escreverei minhas memórias...”

Piraci alega que seu clamor por Nobre é por considerar certa a sua vitória. E faz críticas a todos os concorrentes. “Curioso é que nenhum Presidenciável apresentou proposta de governo. Só há lugares-comuns como ‘profissionalização’…. Cadê o projeto?”, cobrou. “Fechamos o fluxo financeiro de 2012/2013. Os presidenciáveis deveriam pensar nisso e não no (técnico Gilson) Kleina”, completou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Piraci não votará em ninguém, mas vê vitória de Nobre como certa e a eleição está longe
O dirigente avalia a gestão anterior à de Tirone, comandada por Luiz Gonzaga Belluzzo em 2009 e 2010, a pior da história do Palmeiras. E considera que, apesar do trabalho em administração de caixa, a conquista da Copa do Brasil e o acerto para uma rede de lojas oficias do clube, a administração atual falhou ao não apostar no marketing e, por isso, a situação do Verdão ainda é “delicadíssima”. “Vai demorar 30 anos para nos recompormos.”

Entre as soluções apontadas por Piraci, está a extinção do Palmeiras B e o aumento da mensalidade de sócios para R$ 200 individualmente e R$ 400 familiar. Sua maior lamentação é com a Arena Palestra Itália, em obra custeada pela construtora WTorre. “O pior negócio da nossa história foi o formato da operação da Arena, logicamente, sem considerar a contratação do Valdivia...”, reprovou.

Em relação ao time, o diretor acredita que sairá da segunda divisão do Brasileiro “com folga”. Mas ainda não imagina grandes contratações. “Não esperem contratações de peso. Isso deverá ser feito depois da eleição. Seria inapropriado fazer agora”, avisou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade