Futebol/Mundial de Clubes - ( - Atualizado )

Fiel abraça Timão e mexe com atletas no embarque para o Mundial

Bruno Ceccon e Marcos Guedes Guarulhos (SP)

A loucura corintiana vai muito além da “epidemia” promovida pelo departamento de marketing do clube em sua nova campanha. A mais recente prova da insanidade dos alvinegros foi dada na noite desta segunda-feira, quando eles congestionaram a rodovia Ayrton Senna para acompanhar o ônibus da delegação do Timão e fizeram uma grande festa no aeroporto de Cumbica no embarque para o Mundial.

De acordo com estimativa da Polícia Militar, cerca de 15 mil torcedores compareceram para oferecer seu apoio. Com faixas, rojões, sinalizadores e instrumentos de percussão, os fiéis se despediram dos responsáveis por buscar o troféu no Japão com seus cantos tradicionais e recorrentes gritos de “Vai, Corinthians!”.

A festa começou à tarde, no portão do CT do Parque Ecológico, onde teve até churrasco de carne de porco. Já no início da noite, as pistas da Ayrton Senna lembraram brevemente a procissão vivida na rodovia Dutra na inimitável Invasão de 1976. Um pouco mais tarde, a “festa na favela”, como cantaram os “maloqueiros e sofredores, graças a Deus”, chegou a Cumbica.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Torcedores buscam contato com aqueles em quem confiam na busca na luta pelo título mundial
Quando o ônibus que transportava o time pintou no aeroporto, perto das 23h, o povo literalmente o abraçou. Das janelas, os atletas impressionados filmavam a manifestação de carinho. Com a festa inicialmente marcada para uma área externa, em tentativa frustrada de evitar tumultos no saguão, o veículo abriu lentamente o mar de torcedores sob um barulho impressionante e passou para o lado de dentro do portão. Então, jogadores e comissão técnica – cujo avião decolaria com certo atraso, por volta das 2h – desceram para agradecer.

“O carinho do torcedor mexe muito com a gente. Quando se estabelece uma relação entre o clube e seu torcedor, é a coisa mais bonita. É muito importante ter o carinho do torcedor neste momento. Seguramente, vamos ter esse apoio no Japão também”, comentou Tite, antes mesmo de chegar ao aeroporto.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade