Futebol/Amistoso - ( - Atualizado )

Jorge Henrique rebate corintianos após esconder símbolo do São Paulo

Lagoa Seca (PB)

Esconder o símbolo do São Paulo com uma fita isolante não bastou para Jorge Henrique evitar as críticas de torcedores do Corinthians. Após utilizar a camisa do rival em um jogo beneficente promovido pelo volante são-paulino Denilson, em Lagoa Seca (PB), o atacante recebeu uma série de ofensas através da internet. E usou o seu Twitter para rebater, neste domingo.

Saiba mais da polêmica

“Quero dizer para alguns corintianos que acabamos de ser campeões do mundo, e vocês estão preocupados com um pano. Se eu não respeitasse a camisa do Corinthians, não teria preservado o escudo do São Paulo”, rebateu Jorge Henrique, referindo-se à fita isolante que usou para tapar o distintivo do clube rival. “E tem mais: honrar a camisa do Corinthians é dentro de campo, dando carrinho, brigando e lutando pelo Timão, como sempre fiz. Não foi à toa que conquistei de títulos estaduais ao Mundial com esta camisa”, completou.

Divulgação
Apesar da fita isolante para tapar o escudo do São Paulo, Jorge Henrique foi alvo de polêmica com corintianos
O jogo beneficente de Denilson também contou com as presenças do atacante Hulk, do russo Zenit, e do meia-atacante Marcelinho Paraíba, que terminou a temporada no mineiro Boa Esporte. O primeiro jogou nas categorias de base do clube do Morumbi (apesar de ter sido palmeirense na infância), enquanto o segundo passou duas vezes por lá como profissional.

Hulk e Marcelinho Paraíba vestiram o uniforme do São Paulo sem fazer cerimônia. Jorge Henrique, que estava em Recife, não teve como recusar após enfrentar a estrada até Lagoa Seca: “Não viajei três horas de carro para chegar à pelada de um amigo e colega de profissão e não brincar por causa da camisa. Para quem não estava lá, vale dizer que fiz um gol e fui abraçar uma turma de corintianos. Ninguém foi embora por causa da camisa”.

Além de dar uma resposta aos corintianos que se sentiram ofendidos, Jorge Henrique pregou respeito ao rival. “Não tenho nada contra o torcedor do São Paulo. Esconder o escudo foi respeitar o meu time e o deles. Respeito, mas sou corintiano de coração. E não será um pano que mudará o meu sentimento”, defendeu-se.

Para encerrar a polêmica, o atacante afirmou diversas vezes que continuaria a festejar a conquista do Mundial de Clubes durante as suas férias. “Tem uma meia dúzia que deveria comemorar também porque esse título veio na raça! Aqui é Corinthians!”, bradou Jorge Henrique.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade