Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Justiça entra em recesso e Vasco fecha ano com finanças bloqueadas

Rio de Janeiro (RJ)

O Vasco fechará 2012 com todas as suas finanças bloqueadas. A Justiça adiou o julgamento previsto para esta terça-feira e entrou em recesso sem votar a liberação das contas. Com isso, o clube cruz-maltino ficará até 7 de janeiro sem ter acesso aos seus recursos financeiros.

A esperança da diretoria era convencer o júri de que a penhora de 100% de suas receitas poderia ser diminuída drasticamente. A medida facilitaria o fechamento do balanço de 2012 e seria decisiva para que o clube pudesse quitar parte dos salários atrasados de jogadores e funcionários.

Sem o julgamento no Tribunal Regional Federal, o Vasco terá de cumprir com as ordens estabelecidas pela Fazenda Nacional e não poderá efetuar qualquer movimentação financeira com o seu próprio patrimônio. Segundo informações veiculadas no Rio de Janeiro, as dívidas do clube estão perto dos R$ 50 milhões e seriam parceladas em até 60 prestações mensais.

As finanças vascaínas estão bloqueadas desde a última terça-feira. A medida foi expedida pela 5ª Câmara Cível do Rio de Janeiro e manteve as verbas relacionadas aos patrocínios e cotas inacessíveis. Impossibilitado de arcar com as questões financeiras até 2013, o clube poderá presenciar uma nova debandada de jogadores nos próximos dias.

Marcelo Sadio/Vasco
A Justiça adiou o julgamento das receitas vascaínas e manteve o seu patrimônio bloqueado até janeiro de 2013
O volante Nilton entrou na Justiça contra o Cruz-Maltino e conseguiu a rescisão de seu contrato nesta terça-feira. Além do atleta, o goleiro Fernando Prass e o volante Auremir também deixaram o time por falta de pagamentos, enquanto o ídolo Juninho Pernambucano optou por se transferir para os Estados Unidos. A tendência é que o atacante Alecsandro seja o próximo a buscar o rompimento de seu vínculo em São Januário.

O time ainda presenciou uma manifestação de torcedores nesta terça-feira, em sua sede. Insatisfeitos com o presidente Roberto Dinamite, vascaínos compareceram às imediações da Colina e atiraram bananas no local. Os revoltosos membros da organizada também pediram a derrubada da estátua de Romário em São Januário e precisaram ser contidos pela Polícia Militar.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade