Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Renê Simões comenta atual momento, mas crê em fim da crise

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

O Vasco termina a temporada com muitos problemas dentro e fora de campo. Para piorar, a perspectiva para 2013 não é boa e o clube sofre com a saída de jogadores. No entanto, o diretor executivo René Simões, que chegou recentemente a São Januário, acredita que o panorama será revertido com muito trabalho. O dirigente falou sobre o atual momento cruzmaltino, mas afirmou que tudo deve ser contornado.

“É um momento delicado, não diferente do momento do Fluminense. Em uma matéria, o presidente afirmou que o clube passa dificuldade, mas tem um patrocínio diferenciado. O Vasco tem o bloqueio da verba de patrocínio pela Receita Federal. Esperamos mudar este panorama e melhorar a nossa situação para a próxima temporada. Temos alguns problemas, como o do Nílton, temos um acordo de cavalheiros com o Palmeiras. Assim que resolvermos isso, vamos pagar salários viáveis para nossas finanças. O que se paga hoje em dia é algo surreal”, disse à Rádio Brasil.

AFP
Diretor executivo no Vasco, René Simões procura novos reforços para o clube e contorna críticas

René Simões vem procurando reforços para o Vasco para a próxima temporada. O diretor executivo não falou nomes, mas revelou que pode buscar atletas pouco conhecidos. Ele lembrou que os cruzmaltinos conseguiram valorizar jogadores após a chegada de Ricardo Gomes em 2011.

“Não quero ficar falando de nomes, mas estamos trabalhando para reforçar o elenco. Podemos ir atrás de jogadores nem tão badalados, mas que possam dar frutos para o clube. Nomes como Dedé, Fagner, entre outros chegaram no Vasco assim. Adianto que todos os nomes que estamos procurando estão na lista do Ricardo Gomes. A parceria dele com o Gaúcho pode render muitas alegrias para a torcida”, declarou.

Outro assunto abordado foi sobre uma entrevista do meia Felipe, que reclamou dos salários atrasados e da contratação de dirigentes, inclusive a de René Simões. O diretor minimizou a declaração do jogador e preferiu expor sua experiência de carreira.

“Talvez o Felipe não saiba o trabalho que tenho feito ao longo da minha carreira. Trabalhei na reestruturação das federações da Jamaica e de Trinidad e Tobago. Fora isso, ganhei títulos no Coritiba e no futebol árabe. Estive agora em um cargo diretivo no São Paulo e estou acabando um curso de gestão do futebol que é feito pela Fifa. Tenho certeza de que o Felipe vai gostar do nosso trabalho e respeito a opinião dele”, finalizou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade