Futebol/Bastidores - ( )

Réver e Leonardo Silva explicam sucesso da dupla: “Amizade é tudo”

Gabriel Carneiro, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Com o objetivo de alcançar seu primeiro título da Copa Libertadores na história, o Atlético-MG trabalha nos bastidores em busca de reforços. Um dos poucos setores que não deve sofrer alterações é a zaga, protegida pela dupla Réver e Leonardo Silva. Satisfeitos pela boa temporada que culminou no vice-campeonato do Brasileirão, os dois explicam o entrosamento com o verso de uma música composta por Thiaguinho e Rodriguinho: “a amizade é tudo”.

Réver chegou antes ao Galo, em julho de 2010, quando teve 70% de seus direitos federativos comprados junto ao Wolfsburg, da Alemanha. Leonardo Silva, por sua vez, chegou ao clube em janeiro do ano seguinte, logo após o encerramento de seu contrato no Cruzeiro, clube que defendeu e onde se destacou nas duas temporadas anteriores. A estreia da dupla foi no dia 20 de março de 2011, momento em que o clube defendia a marca de pior defesa do Campeonato Mineiro.

“Temos muita coisa em comum, por isso está dando certo há tanto tempo. Nós nos completamos em várias situações, conversamos muito e nos dedicamos para estarmos entrosados e dar esse retorno grande ao Atlético-MG. O importante é ter amizade e a nossa amizade é sadia, sincera. Procuramos refletir isso dentro de campo, porque amizade é tudo”, discursa Leonardo Silva, em entrevista à GazetaEsportiva.net durante premiação de melhores jogadores do Campeonato Brasileiro de 2012.

Divulgação/Atlético Mineiro
Leonardo Silva e Réver se entrosaram como a dupla de confiança do técnico Cuca para Libertadores de 2013
Réver e Leonardo Silva foram eleitos os melhores zagueiros da temporada no Prêmio Craques do Brasileirão, da CBF, e na Bola de Prata, da revista Placar e da ESPN. Satisfeito pelas homenagens, o ex-cruzeirense não esconde o sorriso: “Conquistei a torcida e espero que 2013 seja glorioso, que a gente possa estar na disputa por títulos e seguir o grande trabalho que estamos fazendo. Foi a melhor temporada da minha carreira, pude dar a volta por cima após uma lesão muito grave”.

Para Réver, que chegou a ser capitão da Seleção Brasileira na última partida do técnico Mano Menezes no comando da equipe – derrota por 2 a 1 para a Argentina, em La Bombonera, mas com vitória nos pênaltis na decisão do Superclássico das Américas, tanto ele quanto o companheiro têm condições de buscar oportunidades sob o comando de Luiz Felipe Scolari em 2013.

“É claro que temos que pensar em Seleção. Esperança sempre tem, e tanto eu quanto o Léo vamos procurar, em 2013, fazer próximo ou melhor do que fizemos em 2012. Entre nós não existe competição, basta estarmos preparado para poder agarrar a oportunidade que aparecer”, encerra Réver, confiante que a dupla possa seguir rendendo bons frutos na próxima temporada.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade