Futebol/Mundial de Clubes - ( - Atualizado )

Sheik confirma pé-quente e volta a imperar no Japão

Yokohama (Japão)

Emerson nem era Sheik quando começou a fazer sucesso no Japão. O atacante passou seis anos no país mostrando aquilo que o Brasil só conheceria mais tarde: seu poder de decisão e seu pé-quente.

De volta ao oriente para a disputa do Mundial, ele acrescentou neste domingo mais um título à sua lista. Faz tempo que o fluminense de Nova Iguaçu não passa um ano sem conquistar nada importante.

Campeão brasileiro por times diferentes em 2009, 2010 e 2011, o Sheik marcou mesmo ao decidir a Copa Libertadores neste ano. Até dentada em zagueiro do Boca Juniors deu o jogador, autor dos gols do título do Corinthians.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Emerson brigou demais na decisão e conquistou seu terceiro título com a camisa do Corinthians
"Eu sou maloqueiro", resume o atacante, não à toa identificado com a Fiel, que tomou o Japão e voltou a mostrar sua força de maneira impressionante.

Emerson recompensou o esforço com esforço. Jogou o Mundial claramente sem ritmo por conta de uma recente lesão no joelho e teve uma responsabilidade defensiva muito maior do que gostaria.

Na decisão contra o Chelsea, não conseguiu balançar a rede, mas correu demais. Fugindo de suas características, chegou a fazer desarmes na meia-lua do Timão e ergueu mais um troféu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade