Futsal/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Técnico espanhol ignora derrota para Brasil e exalta invencibilidade

Madri (Espanha)

Técnico da seleção espanhola de futsal desde 2007, José Venancio López acredita que sua seleção marcou época desde que ele assumiu o  comando. Ignorando a derrota para o Brasil na prorrogação da decisão da Copa do Mundo da Tailândia, há pouco mais de um mês, o treinador exalta a sequência de 118 partidas “sem perder” de sua equipe.

“Creio que desde o Mundial da Guatemala (em 2000) há uma época de ouro quanto a títulos conquistados, mas também acredito que marcamos uma geração e um recorde por estarmos há quase sete anos imbatíveis. Para ser exato, estamos há 118 partidas sem perder”, afirma, em entrevista à Real Federação Espanhola de Futebol.

Na final do Mundial, Brasil e Espanha empataram por 2 a 2 no tempo normal. Um gol do fixo Neto, a 19 segundos do final da partida, deu o título à Seleção Brasileira, na quinta decisão entre as equipes na competição.

AFP
Derrota que deixou o título escapar para o Brasil, na final do Mundial deste ano, é considerada empate por Venancio López
“Faltou continuidade depois de um excelente primeiro tempo. Muitas vezes saber jogar a prorrogação é muito importante, e assim deixamos escapar a partida e o título. Detalhes o deixaram escapar de nossas mãos, mas estou muito orgulhoso do nosso nível, fizemos um grande Mundial”, exalta.

Além de considerar o resultado da decisão na Tailândia um empate e valorizar a invencibilidade histórica de seus comandados, López considera a Espanha a melhor seleção do mundo. Ao analisar o cenário do futsal, o treinador aponta a equipe como a maior potência do esporte.

“Somos a maior potência a nível europeu, junto com a Rússia, que cresce cada vez mais. Seguimos acima de todos por conta do trabalho federativo e de todos os clubes e técnicos que fazem termos cada vez mais nível. A imagem que damos é copiada e transmitida por todos os outros países”, conclui.

Sob o comando de José Venancio López, a Espanha conquistou três Eurocopas, em 2007, 2010 e 2012. Além disso, a seleção foi duas vezes vice-campeã mundial, perdendo para o Brasil em 2008, nos pênaltis, e na edição deste ano.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade