Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Goleiros de Grêmio e Inter trocam provocações após o Gre-Nal

Do correspondente Vicente Fonseca Porto Alegre (RS)

O Gre-Nal deste domingo, que encerrou a história de 58 anos do Estádio Olímpico, foi marcado pelas constantes provocações entre os jogadores das duas equipes. Leandro Damião foi expulso por agredir Saimon, que levou vermelho no fim do jogo após trocar agressões com o técnico colorado Osmar Loss, que também foi expulso. O goleiro Muriel e o técnico Vanderlei Luxemburgo saíram mais cedo do clássico. E mesmo quem ficou até o final não deixou por menos.

O goleiro Renan foi provocado pelos gremistas ao final do jogo. Gritos de “Mazembe” vieram das arquibancadas do Olímpico, lembrando a derrota colorada no Mundial de 2010, da qual Renan participou. O goleiro colorado não teve sangue de barata: “gremista só vibra com o time dos outros. Vão jogar a Libertadores no ano que vem e não vão chegar de novo”, disse o arqueiro aos repórteres na saída de campo.

Já Marcelo Grohe, em depoimento ao Sportv, desdenhou da festa feita pelo Internacional ao segurar o empate em 0 a 0 depois de atuar por 34 minutos com dois homens a menos: “eles queriam sentir o gostinho de ganhar a última partida aqui para poder falar por uns 20 anos. Nós não ganhamos, mas eles também não. A torcida lá fez festinha com o empate, mas aqui no Olímpico eles não ganham”, disparou o goleiro gremista.

Ao final do clássico, os gremistas permaneceram no estádio para uma despedida formal do Olímpico. A festa teve a tradicional avalanche e muitas lágrimas dos torcedores, emocionados com o fato de o estádio estar se despedindo, após 58 anos de uso pelo Grêmio. No próximo sábado, o Grêmio inaugura sua Arena em um amistoso contra o Hamburgo, da Alemanha.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade