Futebol/Amistoso - ( - Atualizado )

Grêmio inaugura a sua arena com espetáculo, homenagens e choro

Porto Alegre (RS)

Com 45 minutos de atraso, o Grêmio promoveu um grande espetáculo para inaugurar a sua arena antes do jogo amistoso contra o Hamburgo, da Alemanha, na noite deste sábado. A festa teve shows (que foram de bailarinos ao Blue Man Group), homenagens a ídolos do passado e muito choro de torcedores e dirigentes.

Com fogos de artifício e iluminação, o Grêmio deu início à celebração após uma bandeira vermelha – cor do rival Internacional – ser retirada da arquibancada. Pela primeira vez, então, a Arena ouviu o Hino Rio-Grandense – ao som da gaita de Renato Borghetti, vestido com a camisa 7 de Renato Gaúcho. O músico Ivan Lins tocou o hino gremista no piano enquanto imagens de Lupicínio Rodrigues, compositor do tema, apareciam nos telões.

Já os bailarinos contrastaram uma roupagem moderna com músicas tradicionais do Rio Grande do Sul antes de formar um mosaico e exibir a frase “Grêmio, Arena, Nada pode ser maior”. Ainda houve “ola” nas arquibancadas e participações do Blue Man Group.

AFP
Festa de inauguração da Arena do Grêmio emocionou os torcedores gaúchos na noite deste sábado
Na parte final do espetáculo, foram transmitidos gols históricos do Grêmio, que a torcida acompanhou com “avalanches”. Ídolos como Danrlei, Arce, Anchieta, Baidek, Roger, Emerson, Carlos Miguel, Tcheco, Tarciso, Jardel, De León e Milton Kuelle (único jogador que esteve nas três casas do clube, a Baixada, o Olímpico e a Arena) entraram em cena para completar a homenagem ao passado vitorioso.

Quando falaram ao microfone, os dirigentes ficaram com a voz embargada e repetiram a emoção de quem estava nas arquibancadas. Em meio a lágrimas, o presidente Paulo Odone gritou para o público que estava na Arena: “Vocês fizeram isso!”. Depois, o mandatário foi profético: “Vamos ganhar a Libertadores aqui e chorar de alegria muitas e muitas vezes!”.

O último ato de Odone foi ajudar a cortar a fita, com uma grande tesoura azul, e decretar a inauguração oficial da Arena do Grêmio. Era o momento de dar espaço para o primeiro jogo do estádio, o amistoso com o Hamburgo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade