Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Súmula de Heber deve gerar complicações para Grêmio e Internacional

Do correspondente Vicente Fonseca Porto Alegre (RS)

Os vários incidentes ocorridos no Gre-Nal do último domingo não vão passar em branco. Grêmio e Internacional devem enfrentar julgamentos complicados no STJD devido às expulsões, brigas e rojões lançados pelos torcedores gremistas no fim do clássico. Os fatos descritos pelo árbitro Heber Roberto Lopes podem ocasionar a perda do mando de campo gremista na Arena e suspensões aos envolvidos.

Leandro Damião é um deles. Expulso aos 12 minutos do segundo tempo, o centroavante colorado, segundo a súmula, após levar o cartão vermelho, fez acenos para a torcida do Grêmio: “expulsei de forma direta o jogador Leandro Silva dos Santos, nº 9 da equipe do S. C. Internacional, por atingir com o antebraço o rosto de seu adversário, nº 26, Saimon Tormen, utilizando força excessiva, fato que ocorreu em uma disputa de bola. O atingido, após o atendimento médico, retornou ao jogo. Informo ainda que na saída do atleta expulso, quando o mesmo se dirigia ao vestiário, ainda no campo de jogo, fez acenos para a torcida adversária”, diz o texto.

Heber também descreveu com as seguintes palavras a briga entre o zagueiro Saimon, do Grêmio, e o técnico Osmar Loss, do Inter, aos 46 minutos do segundo tempo: “aos 45+1 minutos do segundo tempo, expulsei da área técnica o treinador da equipe do S. C. Internacional, o Sr. Osmar Loss Vieira, por inicialmente chutar a bola de jogo em que veio em sua direção, retardando o mesmo. Ato contínuo, o atleta Saimon Tormen, nº 26, aproximou-se do referido treinador e proferiu as seguintes palavras: ‘deixa a bola, seu filho da p...’, gerando revide por parte do Sr. Osmar Loss Vieira, que agarrou o citado pelo pescoço, fortemente. O atleta envolvido foi expulso de forma direta”.

A súmula cita o rojão atirado pela torcida do Grêmio em direção ao banco do Internacional, e vai além: segundo Heber, várias bombas foram atiradas também em direção ao trio de arbitragem, após o fim da partida. “Informo que aos 45+1 minutos do segundo tempo foi arremessada na área técnica do S. C. Internacional uma bomba que estourou próxima ao preparador físico, Sr. Flávio Soares. Informo que a bomba foi arremessada do setor social onde se encontrava a torcida do Grêmio F. B. P. A. Informo que, após o término do jogo, foram arremessadas na pista do estádio várias bombas oriundas da torcida do Grêmio F. B. P. A., quando saíamos do gramado, em direção ao nosso vestiário”.

Este último relato de Heber pode tirar do Grêmio alguns mandos de campo na Arena, o novo estádio do clube, em partidas válidas por competições nacionais em 2013. O Tricolor identificou o torcedor que atirou o rojão no banco do Internacional, mas as demais bombas disparadas contra o trio de arbitragem são de mais difícil averiguação. O procurador do STJD, Paulo Schmitt, informou que o Tricolor deve receber punição, a menos que identifique quem jogou as bombas em direção ao gramado.

A súmula de Heber Roberto Lopes ainda informa que o técnico gremista Vanderlei Luxemburgo, ao ser expulso, arremessou uma garrafa d’água contra o chão em protesto por sua exclusão da partida, e só deixou o gramado do Olímpico após intervenção da polícia.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade