Canoagem/Bastidores - ( )

Testes genéticos podem ajudar na descoberta de talentos na canoagem

Primavera do Leste (MT)

A medicina é a nova aliada da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa). Durante o Campeonato Brasileiro da categoria velocidade, os mais de 350 atletas participantes nas diversas faixas etárias passarão por testes genéticos, comandados pelos cientistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com o objetivo de encontrar novos talentos por meio do mapeamento genético.

A competição acontece até este domingo, na recém inaugurada raia olímpica de Primavera do Leste, no Mato Grosso. Os cientistas irão analisar o potencial para desenvolvimento dos canoístas em vários aspectos da performance como força, resistência, velocidade e agilidade.

Além das disputas, os atletas também terão que passar por uma bateria de exames, que incluem impressões digitais, marcadores genéticos, somatotipo, composição corporal com o aparelho InBody, medidas antropométricas, envergadura e oxímetria. Os testes serão orientados pelo Prof. Dr José Fernandes Filho.

Com o resultado dos exames será possível orientar o treinamento, potencializando as características biológicas inerentes a cada um dos atletas. “Com a bateria de exames nós podemos traçar todo um mapa biológico do atleta, fornecendo importantes informações aos técnicos” explicou o especialista Prof. Ms. Leonardo Rego.

Divulgação
Atletas passaram por testes para melhorarem a performance e descobrirem onde podem se desenvolver com mais eficiência

Além de atletas experientes como Nivalter Santos, canoístas na categoria 200m e com participação nos Jogos Olímpicos Pequim, a bateria de exames também avaliou atletas mais novos, com foco na determinação da modalidade onde o jovem poderá se desenvolver com mais eficiência. Foi o caso do baiano Milton Luz de Oliveira, de apenas 14 anos, e vencedor da primeira medalha de ouro do torneio.

“Conhecendo as características desde cedo é possível maximizar e determinar mais precisão qual tipo de prova ele tem mais chances de se desenvolver”, observou o Prof. Dr. Ramón Montenegro.

"Com esses dados em mãos nós poderemos comparar esse banco de dados biológicos com o ranking dos atletas neste ano, o que nos dará a condição de mapear as principais características dos atletas e posteriormente refinar ainda mais o treinamento para cada tipo de prova", resumiu o fisiologista e coordenador do Departamento de Ciências do Esportes da CBCa, Heros Ferreira.

As avaliações também visam uma melhor performance nos Jogos Olímpicos de 2016, com sede no Rio de Janeiro. “A meta da CBCa é avaliar todos os canoístas que participam do Campeonato Brasileiro de Canoagem Velocidade e dessas avaliações, quem sabe, poderemos encontrar um novo talento para os Jogos Olímpicos Rio 2016”, completou o presidente da CBCa, João Tomasini Schwertner. Neste sábado, estão marcadas as provas de 500m e no domingo as disputas de 200m.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade