Futebol/Amistoso - ( - Atualizado )

Após ver Pacaembu lotado, Felipão evita falar em rebaixamento

Edoardo Ghirotto* e William Correia São Paulo (SP)

O Pacaembu foi completamente tomado pela torcida do Palmeiras nesta terça-feira. Em seu jogo com o maior número de pagantes no ano, o clube alviverde sediou a partida de despedida do ex-goleiro Marcos no Pacaembu e fez de tudo para esquecer o trágico rebaixamento para a segunda divisão nacional. Considerado um dos principais personagens do descenso para a Série B, o técnico Luiz Felipe Scolari se calou sobre o assunto e apenas exaltou a festa dos cerca de 37 mil torcedores nas arquibancadas.

"Não tenho nada para falar sobre rancor de rebaixamento. Eu estou aqui pela alegria do Marcos", limitou-se a dizer o treinador, responsável por comandar a Seleção Brasileira de 2002 no amistoso organizado por Marcos. "O que o Marcos fez pelo Palmeiras é indescrítivel. A pessoa que ele é e tudo o que ele representa no futebol... Nada mais interessante, bonito e fantástico do que ver o Pacaembu lotado como há muito não se via."

O depoimento de Luiz Felipe Scolari com relação ao público presente no Pacaembu condiz com a fraca procura de ingressos ao longo de sua segunda passagem pelo Palmeiras. O time mandou boa parte de seus jogos na Arena Barueri e contou com apenas 25 mil pagantes no primeiro duelo da final da Copa do Brasil, contra o Coritiba. Já no Brasileiro, a melhor média apresentada pelo Verdão foi após a saída de Felipão, quando o time bateu a Ponte Preta sob o comando de Gilson Kleina. Na ocasião, cerca de 19 mil pessoas acompanharam a vitória por 3 a 1 sobre a Macaca.

Fernando Dantas/Gazeta Press
O técnico Luiz Felipe Scolari teve a sua presença ignorada no Pacaembu e se recusou a falar sobre o rebaixamento
Sem se importar com os números palmeirenses no ano, Felipão se ateve ao jogo de despedida do seu antigo comandado e voltou a valorizar a homenagem programada para esta terça-feira. "Vejo com alegria tudo que o Marcos realizou até esse dia. Tudo que pudemos compartilhar por estamos junto com ele no Palmeiras e Seleção. Esse é mais um momento de alegria no futebol que vivemos", encerrou o comandante do pentacampeonato nacional e do título da Libertadores alviverde de 1999.

*Especial para GE.net

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade