Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Euller sugere orientação para Maikon Leite pensar além de correr

Edoardo Ghirotto* e William Correia São Paulo (SP)

Em junho de 2011, Euller gostou das comparações com o então recém-contratado Maikon Leite. E se mantém apoiando o atacante do Palmeiras mesmo com as más atuações na campanha do rebaixamento do time no Brasileiro. Para o ex-jogador, o atual camisa 7 do Verdão precisa de ajuda para raciocinar em vez de se limitar a dar arrancadas.

“Ele tem uma característica rara no futebol brasileiro: a velocidade. É obvio que quem tem velocidade tem uma dificuldade maior de se pensar. Quando se trata de garoto novo, vai dificultar mais ainda. Por isso, a necessidade de estar sempre conversando e orientando para que possa mudar cada vez mais as suas características”, apontou Euller à Gazeta Esportiva.net.

O ex-atleta se vê em Maikon Leite. “Na idade dele eu também era assim, tinha as mesmas dificuldades. Fui evoluindo pegando grandes treinadores como o Telê, por exemplo”, comentou Euller, comandado por Telê Santana em sua passagem pelo São Paulo, quando ganhou o apelido de “Filho do Vento”.

Mas Euller tinha uma carreira mais vitoriosa do que Maikon Leite àquela altura. Aos 24 anos, o ex-jogador já tinha se destacado na campanha do vice-campeonato do São Paulo na Libertadores de 1994 e conquistado o Mineiro de 1995 pelo Atlético-MG, enquanto Maikon Leite foi reserva em todos os seus títulos de primeira divisão: a Copa do Brasil de 2012, pelo Verdão, e os Paulistas de 2010 e 2011, a Copa do Brasil de 2010 e a Libertadores de 2011, pelo Santos.

Montagem sobre fotos de Gazeta Press
Filho do Vento, que fez estágio com Felipão no Palmeiras, aposta que Maikon Leite será importante na Série B
Apesar dos currículos diferentes, foi exatamente na comparação com o atacante campeão da Libertadores de 1999 e do Torneio Rio-São Paulo de 2000 pelo Palmeiras que Luiz Felipe Scolari solicitou, há quase dois anos, a contratação de Maikon Leite. Mas o jogador vindo do Santos não vingou e, nas últimas semanas do técnico no clube, chegou a ser acusado de fazer “corpo mole”, inventando lesão para não ajudar o time.

De longe, Euller, que fez estágio com Felipão no Verdão para ser técnico, pede calma. “O Maikon Leite é um garoto novo. Ele precisa ser bem orientado. Orientando-o, ele tem tudo para poder ser um grande jogador, importantíssimo para o Palmeiras principalmente agora na Série B”, apostou o ex-atacante, um dos principais nomes no acesso do América-MG à primeira divisão nacional em 2010.

A esperança do aposentado jogador é ver Maikon Leite acertando os passes e, principalmente, as finalizações para diminuir os erros que tanto irritam os palmeirenses. Euller valorizou ainda mais como é ser aclamado pela torcida ao participar do jogo de despedida de Marcos, no último dia 11. “Foi maravilhoso. Fico arrepiado de emoção porque realmente é bacana”, contou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade