Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Kleina se irrita com especulação por "astro" que pode não chegar

São Paulo (SP)

Mesmo após o rebaixamento, o presidente Arnaldo Tirone insistiu em reiterar sua intenção de contratar um “grande nome” para o Palmeiras e as especulações começaram. Para ira de Gilson Kleina. O técnico está bravo com a expectativa por um astro, que pode não vir e comprometer tanto o seu trabalho como o do gerente de futebol César Sampaio na reformulação do elenco.

“Nunca trabalhei em um clube com o vazamento dessa forma. Ficamos irritados porque não sei a razão de colocar nomes que geram tanta especulação. Como só gera especulação, cria uma expectativa no torcedor e depois esse nome não vem. Só temos a perder com essa situação. E quem perde mais é a instituição”, disse o treinador à rádio Estadão/ESPN.

De olho não só na disputa da Série B do Brasileiro, mas também da Libertadores em 2013 – além da Copa do Brasil e do Campeonato Paulista –, Kleina admite que prefere poucos contratados, mas de qualidade. Só não quer ver a torcida ainda mais frustrada com alguém de qualidade que não seja um “astro”.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Treinador acredita que quem gera rumores atrapalha a linha de trabalho transparente que ele tenta implantar
“Terminamos um ano superdifícil e estamos buscando uma linha de flexibilidade e transparência. Mas nem todos pensam assim”, lamentou. “Dentro da renovação e oxigenação que estamos fazendo, não adianta só trazer por trazer para justificar a formação de um elenco. Precisamos de nomes pontuais, que venham, vistam a camisa e valorizem mais do que nunca o nosso calendário de 2013.”

Independentemente de quem venha, Kleina cobra mais rapidez da diretoria. Afinal, 20 jogadores foram dispensados e só o lateral direito Ayrton, ex-Coritiba, foi contratado até agora. “Estamos a semana toda montando a reformulação e o planejamento, que já está adiantado. O que falta acontecer é a decisão final para preenchermos lacunas”, cobrou.

O técnico insiste: dificuldade financeira não pode ser desculpa. “O que mais ouvimos é que não há receita para trazer reforços, mas não podemos ficar atrás disso. Precisamos de criatividade. Não é qualquer clube, é a marca Palmeiras, uma camisa muito forte que com certeza atrai muitos. Entendemos que o mercado está muito aquecido, a concorrência é muito grande e trazer alguém de referência e qualidade gera valores altos, mas precisamos nos mobilizar”, exigiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade