Futebol/Mundial de Clubes - ( )

Prass se recusa a torcer pelo Corinthians, a "pedra" em seu sapato

William Correia São Paulo (SP)

Fernando Prass ainda nem treinou pelo Palmeiras, só vestiu a camisa do clube para sua apresentação oficial e na primeira entrevista coletiva como atleta da equipe, nessa quinta-feira. Mas um aspecto admirado pela torcida do Verdão ele já traz desde sua passagem pelo Vasco: a recusa em torcer pelo Corinthians.

“Se antes eu já não torcia, agora muito menos”, afirmou o goleiro ao ser questionado sobre a final do Mundial de Clubes neste domingo, quando o arquirrival enfrenta o Chelsea, em Yokohama, no Japão. “Mas não vou secar nem torcer contra ninguém. Não vou desejar o mal de ninguém”, tentou amenizar.

O sentimento do jogador pelo time alvinegro não surgiu no momento em que ele vestiu verde. Fernando Prass não se esquece que foi eliminado pela equipe que seria campeã da Libertadores nas quartas de final do torneio, após empate por 0 a 0 no Rio de Janeiro e vitória corintiana por 1 a 0, no Pacaembu, com gol de Paulinho nos últimos minutos.

“O Corinthians foi uma pedra no sapato”, contou, mostrando ainda ter vivas na memória as jogadas daqueles confrontos. “Em São Januário, tivemos um gol anulado por um dedão do Alecsandro e, em São Paulo, foram lances emblemáticos, como o do Diego Souza e da cabeçada na trave”, lembrou, citando gol anulado por impedimento na casa vascaína, e, no Pacaembu, gol perdido por Diego Souza na frente do goleiro Cássio.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Goleiro só vestiu a camisa do Palmeiras uma vez, mas já se nega a torcer pelo time que o eliminou na Libertadores
“Todas as vezes em que enfrentei o Corinthians pelo Vasco foram grandes jogos. Eram duas equipes que se portavam muito bem em campo. Foram todos equilibrados pelos esquemas que se encaixavam”, recordou-se o goleiro, em tom de saudade pelos duelos.

A partir de 2013, enfrentar o Corinthians será para Prass participar de um dos clássicos com mais rivalidade no Brasil. E pode ocorrer já na Libertadores – por enquanto, o único Derby garantido é na primeira fase do Paulista, podendo acontecer também nas fases finais do Estadual e na Copa do Brasil.

“O Corinthians é um dos classificados para a Libertadores, mas não sei como vai ser chaveamento. Pode acontecer de enfrentá-los, como também contra São Paulo, Grêmio, Atlético-MG e Fluminense”, discursou o novo camisa 25 do Verdão, em tom mais ameno.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade