Futebol/Mercado - ( )

Tirone já cita Valdivia para 'compensar' caso Riquelme não acerte

São Paulo (SP)

Apesar de os dirigentes do Boca Juniors terem definido que não cederão mais por Riquelme, que está com seu contrato válido até julho de 2014 suspenso, a possibilidade de o ídolo voltar ao clube argentino é grande. Tanto que Arnaldo Tirone valoriza Valdivia como compensação para um possível fracasso na negociação com o meia.

“Na Libertadores, você precisa de mais experiência. E já temos o Valdivia, que joga na mesma posição do Riquelme. O Riquelme interessa ao Palmeiras, mas precisamos ver que não é fácil trazê-lo. Precisamos de uma estrutura para isso”, disse o presidente do Palmeiras à Fox Sports, comparando o chileno que só jogou duas Libertadores a um tricampeão da competição.

A declaração, contudo, tem o tom de compensação realmente, até porque o dirigente sabe que dificilmente o Conselho de Orientação e Fiscalização (COF) do clube aprovaria a contratação de Riquelme. “Ele é um grande nome, conhecido mundialmente, tem muita qualidade, mas também temos o Valdivia. Precisamos analisar direitinho as posições mais necessitadas para montar um elenco para todos os campeonatos.”

A posição mais carente é a zaga, que não conta mais com os dispensados Thiago Heleno, Leandro Amaro e Wellington e tem Henrique recém-recuperado de lesão, sobrando só Mauricio Ramos e o garoto Luiz Gustavo, que Gilson Kleina pretendia usar na lateral direita. Mas o técnico já ficará frustrado se Riquelme não vier, já que cogitava deixar Valdivia na reserva do argentino.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Após Kleina cogitar deixá-lo na reserva de Riquelme, Valdivia vira compensação caso o argentino não venha
Um dos principais entraves no Verdão é que qualquer contratação depende da aprovação do COF, tirando poder de Tirone, do vice-presidente Roberto frizzo e do gerente de futebol César Sampaio – que promete seguir trabalhando até as eleições do dia 21 mesmo com seu contrato acabando na segunda-feira. Por isso, nomes como o do atacante uruguaio Cauteruccio, do Quilmes, da Argentina, estão praticamente descartados.

“A ideia é colocar na mesa os nomes que queremos sem onerar o clube. Tenho menos de um mês de mandato com uma responsabilidade muito grande de não errar”, disse Tirone, dizendo estar atento a renovação de Marcos Assunção, irritado com a demora por uma resposta na prorrogação do vínculo que se encerra na segunda-feira. “Vamos fazer um esforço para manter o Marcos Assunção. Ele tem vontade de jogar no Palmeiras em 2013 e fez uma contraproposta com um valor padrão para renovar, mas estamos conversando com o empresário dele. Faremos de tudo para ele continuar.”

Mas “fazer de tudo” não foi necessário para evitar a queda à segunda divisão. Dessa forma, só resta acreditar em nomes que decepcionaram, como Valdivia. “Ele tem um problema físico, de contusão, mas, se render seu futebol, indiscutivelmente é um dos melhores do Brasil. Com ele, o time joga com outra dinâmica. Ele tem condições de continuar no Palmeiras e está consciente de que pode render mais”, apostou Tirone.

“O dever do Palmeiras é analisar qualquer proposta que chegar, mas acho difícil algum time pagar o preço do Valdivia. Acreditamos muito nele ainda, espero que faça um 2013 muito bom”, prosseguiu o presidente, com mais sinceridade. “O torcedor pode ficar tranquilo porque o Palmeiras pode ter um 2013 muito bom”, tentou convencer.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade