Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Tonhão pede para Palmeiras se endividar e salvar centenário em 2014

Edoardo Ghirotto, especial para a GE.Net Mogi Mirim (SP)

As incertezas que pairam sobre o Palmeiras não assustam só os torcedores. Ídolos também compartilham da preocupação gerada com o rebaixamento para a Série B do Brasileiro e já se mostram receosos com relação ao centenário do clube em 2014. O medo de uma decepção ainda maior no histórico aniversário fez com que o ex-jogador Tonhão pedisse até para a diretoria endividar o time na tentativa de corrigir os erros apresentados na última temporada.

Conhecido por sua raça e entrega dentro de campo, o ex-zagueiro, de 43 anos, ganhou o carinho da torcida ao conquistar o Paulista de 1993 e o bicampeonato brasileiro em 1993 e 1994. Hoje, é responsável pelas categorias de base do Grêmio-SP e cobra uma postura mais enérgica da diretoria do Verdão para não sofrer novas decepções como torcedor palmeirense.

“Agora é a hora de contratar. O time perdeu, está lá embaixo e tem que recuperar a sua força para o centenário. Aquele que entrar no lugar do (presidente Arnaldo) Tirone tem a obrigação de gastar dinheiro, ficar endividado e buscar parcerias para conseguir jogadores. Tem que bater na porta dos outros e pedir estas coisas. O time precisa subir em 2013 e honrar a sua história na Libertadores para não sofrer em 2014”, comentou.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Tonhão trabalha no Grêmio-SP, mas está preocupado com a situação do time do coração
Tonhão também não poupou críticas aos jogadores que vieram ao Palmeiras com o intuito de conseguir uma transferência para o exterior. Descontente com o desempenho apresentado pelos contratados deste ano e, principalmente, pelo chileno Valdivia, o ex-zagueiro espera que os remanescentes desta equipe compreendam a importância de recuperar a história do clube e recolocá-lo na primeira divisão.

“Precisamos de jogadores sérios, temos que mostrar a eles que o Palmeiras é grande. O time não é só uma ponte para o exterior”, criticou Tonhão. “Em todo clube, o empresário coloca ajuda e até paga metade do salário. Desta vez, o Valdivia voltou para cá e não conseguiu repetir aquilo que tinha feito. Não tem condição desse jeito. É uma série de fatores que atrapalharam o time o ano inteiro.”

Após o rebaixamento, o Palmeiras divulgou a dispensa de 20 jogadores que estavam no elenco: os goleiros Pregorari e Carlos, os laterais Artur, Fabinho Capixaba, Luis Felipe, Leandro e Gerley, os zagueiros Román, Thiago Heleno, Leandro Amaro e Wellington, os volantes Correa, João Vitor e Tinga, os meias Daniel Carvalho e Patrik e os atacantes Obina, Betinho, Daniel Lovinho e Tadeu.

Até agora, só o lateral direito Ayrton, ex-Coritiba, foi confirmado como contratação. O técnico Gilson Kleina tem cobrado diariamente, e de forma pública, mais agilidade da diretoria, e ganhou também o apoio do ex-goleiro Marcos. O ídolo alerta que será tarde demais para buscar reforços se for necessário esperar as eleições presidenciais no clube, marcadas para 21 de janeiro.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade