Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Velloso atribui quebra de tradição no gol à fase ruim do Palmeiras

Edoardo Ghirotto* e William Correia São Paulo (SP)

O Palmeiras não contratava um goleiro desde 1994, quando o paraguaio Gato Fernández fora o adquirido pelo clube. A tradição, porém, foi quebrada nesta terça-feira. Antes do jogo de despedida organizado para o ídolo Marcos, a diretoria do Verdão confirmou a vinda de Fernando Prass, que vestiu a camisa do Vasco nos últimos quatro anos. Mesmo com a quebra de mais um costume no Palestra Itália, o ex-arqueiro Velloso não encontrou anormalidades na negociação com o novo camisa 1.

Velloso foi o antecessor de Marcos na meta alviverde. Ídolo e inspiração do próprio Santo, o ex-jogador foi ao Pacaembu nesta terça-feira para vestir a camisa da Seleção de 2002. A sua ausência no esquadrão campeão da Libertadores pelo Verdão, em 1999, pode ser explicada pela lesão sofrida ao longo da competição. À época, o goleiro era titular absoluto da posição e não conseguiu recuperar a sua titularidade depois de o jovem camisa 12 ter assumido a meta palestrina no torneio internacional.

"O Palmeiras não contratava goleiros há algum tempo. O clube tem tradição nesse quesito, mas, por um momento ruim da posição, precisou apelar para contratações. A equipe também não atravessa uma boa fase e isso expõe o goleiro. É bom ter uma concorrência de alto nível. Vai fazer com que o Bruno e até o Deola possam crescer. São jovens de muita qualidade, mas ficaram expostos pela fase ruim no campeonato", opinou Velloso.

A contratação do ex-vascaíno também dará um ultimato nas situações vividas pelos atuais arqueiros do plantel palmeirense. Bruno não agradou a torcida e foi alvo de protestos após o rebaixamento para a segunda divisão. Em uma manifestação organizada em frente à Academia de Futebol, o goleiro foi ironizado por um torcedor que carregava folhas de alface em suas mãos. Já Deola foi emprestado após falhar seguidas vezes na temporada. A tendência é que o seu vínculo com o Vitória seja renovado em 2013.

Fernando Prass, por sua vez, chega com a missão de ser titular absoluto na Copa Libertadores. O jogador, de 34 anos, foi um dos pilares da equipe montada por Ricardo Gomes na Copa do Brasil de 2011. Com o camisa 1 no gol, o time cruz-maltino passou pelo Coritiba na final e conquistou o inédito título nacional.

*Especial para a GE.net

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade