Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Wendel fala como jogador do Palmeiras, mas Ponte quer até comprá-lo

William Correia São Paulo (SP)

Após passar quase todo o segundo turno do Brasileiro na Ponte Preta, Wendel apareceu na Academia de Futebol nesta quinta-feira, conversou com o vice-presidente de futebol Roberto Frizzo e já falou como se estivesse certa sua presença no Palmeiras em 2013. Mas o clube campineiro ainda trabalha para contratá-lo até em definitivo.

“A Ponte tem interesse e está negociando a minha permanência até em definitivo. Eles gostaram bastante não só do meu futebol, mas da minha pessoa. Só que meu objetivo é voltar para o Palmeiras. Eu me reapresento aqui no dia 3. Graças a Deus deu tudo certo. O Palmeiras me quis de volta e estou muito contente por retornar”, disse o volante de origem, que atua também na lateral direita.

Com 31 anos, Wendel está vinculado ao Verdão até dezembro de 2013, mas não joga pelo clube que o formou desde o Campeonato Paulista de 2010. Nas últimas três temporadas, passou por Goiás, Atlético-PR e Barueri antes da Macaca, chegando até a treinar separado no Palmeiras por não estar nos planos do então técnico Luiz Felipe Scolari.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Volante foi lateral da Ponte no Brasileiro e tem contrato com o Verdão até dezembro de 2013
Agora, porém, ele não deve ser emprestado novamente. Gilson Kleina o indicou à Ponte Preta quando estava na equipe de Campinas e já conversou com o próprio jogador para contar com ele na próxima temporada. E o atleta não pretende recusar uma chance de continuar no time que diz torcer.

“Minha esposa, minha família toda me acompanhou em Campinas, fizemos amizade lá. Se tiver que ficar na Ponte Preta, será com maior alegria e carinho. Mas nunca queria ter saído do Palmeiras. Quero encerrar a minha carreira aqui”, afirmou o jogador, aberto até a conversar já sobre uma ampliação de contrato.

É bem clara a sensação de Wendel pelo interesse do Verdão em tê-lo no ano que vem. Durante toda a entrevista, ele não escondeu o sorriso. “Agradeço ao Kleina por ter me recebido lá na Ponte Preta e ter me levado lá juntamente com o Ocimar (Bolicenho, diretor de futebol da Ponte) e com o apoio e a confirmação do presidente. Agradeço também a torcida. Fizemos um bom trabalho e estou muito contente, mais ainda por estar aqui no Palmeiras”, celebrou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade