Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Lusa empata com a Ponte e escapa de novo rebaixamento

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Desta vez, a Portuguesa escapou. O público que compareceu em público razoável ao estádio do Canindé na tarde deste domingo saiu aliviado com o empate por 0 a 0, que evitou a volta da equipe rubro-verde à segunda divisão do Campeonato Brasileiro.

Rebaixada no Paulista, a Lusa chegou a se ver em situação complicada no Nacional, mas ganhou certa tranquilidade ao bater o Internacional na penúltima rodada. Na jornada derradeira, bastava um empate, objetivo alcançado.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Léo Silva escapa de Wendel em jogo no qual a equipe rubro-verde se satisfez com o empate

A equipe dirigida por Geninho jogou melhor no Canindé e terminou a competição com 45 pontos, na 16ª colocação, uma à frente do grupo dos degolados. A Macaca, com 48, ficou em 14º lugar e tem chance de disputar a Sul-americana do ano que vem dependendo do desenrolar da Copa do Brasil.

No primeiro tempo, a Portuguesa construiu sua superioridade no meio de campo. Boquita e Léo Silva se apresentavam com frequência e faziam a bola girar até chegar a Moisés e, especialmente, a Ananias, que se mexia muito bem e criava problemas para a defesa visitante.

As chances começaram a aparecer a partir dos 20 minutos. Na primeira, Moisés girou da meia-lua e bateu para fora. Na segunda, Rodriguinho concluiu mal depois de receber livre na área. Houve ainda um bom arremate de pé direito e um cabeceio de Ananias que deixaram a Lusa perto do gol.

Mas a bola não entrou em uma etapa inicial na qual a Ponte só chegou com mínimo perigo em batidas de escanteio. E, após o intervalo, o ritmo caiu bastante, o que fez Geninho acionar Diego Viana. De cabeça, já na metade do segundo tempo, o centroavante perdeu uma boa oportunidade.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Os torcedores da Lusa puderam voltar sorrindo com a permanência da equipe na elite do Campeonato Brasileiro
Aos 25 minutos, chegou a notícia do gol do Náutico em cima do Sport, que praticamente livrou a Portuguesa do rebaixamento. A equipe tocou a bola e manteve a calma até o apito final, que foi dado pelo bandeira Roberto Braatz, no último jogo de sua carreira.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade