Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Campeões de 92 valorizam importância da Sul-americana para Tricolor

Edoardo Ghirotto, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Os atletas que já vestiram as cores do São Paulo durante a disputa de uma Libertadores não se cansam de comentar sobre a mística que envolve o Morumbi durante o torneio. A atmosfera do estádio em jogos internacionais é relembrada com carinho por ídolos da torcida tricolor e voltou a entrar em pauta com a final da Copa Sul-americana. Embora sejam competições distintas, os ex-jogadores Pintado e Jamelli acreditam que os torcedores apoiarão o time da mesma maneira na busca pelo título.

Criada após a extinção da antiga Mercosul, a Sul-americana ganhou importância apenas em 2010, quando a Conmebol passou a presentear o vencedor com a classificação à Copa Libertadores. Mesmo com a vaga no torneio assegurada após o término do Brasileiro, o São Paulo nunca escondeu o seu desejo de encerrar o jejum de quatro anos sem títulos com a conquista da competição.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Pintado vê o São Paulo como franco favorito ao título da Sul-americana e da Libertadores de 2013
A prioridade destinada ao campeonato pelo técnico Ney Franco chegou a virar motivo de piada para os rivais, mas não incomodou o ex-volante Pintado. “Título sempre é importante. Não existe isso de não dar importância. É claro que a Libertadores é diferente. O ar que você respira é outro. Mas o São Paulo está muito forte e eu não vejo qualquer outro time capaz de tirar este título dos brasileiros”, disse o ex-atleta, campeão da Libertadores e do Mundial de 1992 com o Tricolor.

A opinião de Pintado a respeito da Sul-americana também é compartilhada por Jamelli. Vencedor da Libertadores de 1993 e bicampeão do Mundial de 1992 e 1993 pelo São Paulo, o ex-jogador entende que o torcedor brasileiro irá assimilar com o tempo a importância do torneio. Esta mudança de comportamento seria parecida com a que acarretou na valorização da Liga Europa diante do planejamento feito por aqueles que sonham com a Champions League.

“A Copa Sul-americana é igual a um Estadual. Se você ganha, os outros vão desvalorizar a sua conquista. Mas, se você perde, o título vale mais do que um Mundial. Chegar a uma final é sempre importante e isso se torna mais relevante com uma vaga na Libertadores. Isso envolve prestígio e currículo. É o mesmo da Liga Europa, que tenta atrair os torcedores que não acompanham a dos Campeões”, comentou Jamelli.

Djalma Vassão/Gazeta Press
O ex-jogador Jamelli acredita que o torcedor brasileiro precisa de tempo para valorizar a Sul-americana
Com relação ao modo como o São Paulo chega para a decisão do torneio, Jamelli está crente de que a torcida não tem com o que se preocupar. Mesmo com as críticas de uma ala dos torcedores ao trabalho de Ney Franco, o ex-jogador vê o grupo de atletas muito bem preparado para superar a pressão do Tigre-ARG, nesta quarta-feira, em La Bombonera, e selar mais uma conquista no Morumbi, na próxima semana.

“É difícil falar de fora, mas nós vemos que o time é muito bom. O São Paulo seria campeão brasileiro se nós tivéssemos mais cinco rodadas. A equipe está certamente entre as melhores do Brasil. As únicas preocupações ficam para 2013, já que não se sabe ainda qual será a condição do Rogério Ceni e se o Ganso vingará entre os titulares”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade