Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Denilson promete revide na bola após cuspes e tapas na Bombonera

Tossiro Neto Guarulhos (SP)

Tem volta. É geralmente assim que alguém que sai ferido de uma luta responde ao agressor. Após encarar uma marcação violenta do Tigre, em La Bombonera, os são-paulinos prometeram vencer a guerra contra os argentinos no segundo jogo. O revide no Morumbi, segundo Denilson, será ganhando o título.

"Os caras cuspiram, deram tapa, e a gente teve que ficar quieto. Mas vamos procurar mostrar na bola. Brasileiro procura sempre jogar na bola. Às vezes, acontece uma ou outra falta mais dura, mas eles foram desleais. Vamos nos focar ao máximo, porque quero ganhar esse título de qualquer forma", disse, nesta quinta-feira.

O volante foi, ao lado dos zagueiros Rafael Toloi e Rhodolfo, um dos são-paulinos advertidos com cartão amarelo. A equipe brasileira ainda teve o atacante Luis Fabiano expulso após se envolver em confusão com o zagueiro Donatti, que igualmente recebeu cartão vermelho.

Tenso desde os primeiros minutos, o jogo terminou sem gols, o que dá ao São Paulo a condição de ser campeão em casa com uma vitória simples, diante de mais de 64 mil pessoas. Se houver novo empate, a partida irá para a prorrogação e, posteriormente, aos pênaltis.

"Vamos saber usar nosso campo a favor. Tudo vai estar a favor. Tenho certeza de que o São Paulo vai sair vitorioso. O Luis Fabiano vai fazer muita falta, porque é nossa referência, e todas as equipes precisam de jogadores como ele. Mesmo assim, vamos em busca desse título inédito", observou.

Já classificado para a fase preliminar da Copa Libertadores, o São Paulo vê na Sul-americana a possibilidade de findar jejum de quatro anos sem conquistas – a última foi o Campeonato Brasileiro de 2008. Além disso, vencer o torneio garante participação na Recopa e na Copa Suruga.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade