Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Maestros são-paulinos comemoram primeiro título no Tricolor

São Paulo (SP)

Sem encontrar um legítimo camisa 10 desde a saída de Danilo para o futebol japonês, o São Paulo agora pode se dar ao luxo de manter dois maestros em seu elenco. Com investimentos pesados, a diretoria trouxe Jadson da Ucrânia no início do ano e tirou Paulo Henrique Ganso do rival Santos já no segundo semestre de 2012.

Principal garçom da equipe treinada por Ney Franco, Jadson conviveu com a desconfiança da torcida, mas os gols e as assistências aos poucos foram consolidando o futebol do titular na Morumbi. Após a saída de Emerson Leão, o meia cresceu de produção e foi umas peças-chave da conquista da Copa Sul-americana, decidida com apenas 45 minutos e 2 a 0 no placar depois da confusão entre os jogadores do Tigre-ARG e seguranças tricolores.

“Graças a Deus nossa equipe conseguiu chegar na final. Todo mundo estava ansioso, fizemos um bom primeiro tempo e jogamos com o coração, pois queríamos ganhar esse título para a torcida nesse final de ano. Meu primeiro ano aqui e é muito bom terminar assim. É para toda a torcida, meus filhos, minha mulher e meus pais, que até vieram aqui. É para todos os são-paulinos do Brasil”, comemorou o atual dono da 10.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Jadson participou dos dois gols são-paulinos na decisão e mostrou espírito diferente do usual em divididas
Longe da eficiência de Jadson, que desfalcou a equipe em apenas três partidas no Campeonato Brasileiro, Ganso chegou com status de estrela. Recebido com festa dias após a contratação e no dia de sua estreia, o novo camisa 8 do Morumbi pouco jogou, mas conseguiu dar mostras do que pode fazer no São Paulo em 2013.

No clássico contra o Corinthians, vencido pelos tricolores por 3 a 1 na última rodada do Brasileirão, Ganso deu duas assistências e, após jogar apenas alguns minutos na conquista da Sul-americana, prometeu à torcida que a próxima temporada terá ainda mais conquistas. “Estou muito feliz. É o primeiro de muitos. Não joguei muito, mas estou aqui para ajudar o São Paulo. E o ano que vem promete”, profetizou o maestro.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade