Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Osvaldo reclama de pontapés argentinos, mas pede frieza no Morumbi

Tossiro Neto Guarulhos (SP)

O atacante Osvaldo foi quem mais trouxe marcas da primeira batalha contra o Tigre. No retorno da delegação do São Paulo ao Brasil, na noite desta quinta-feira, o são-paulino reclamou da violência dos argentinos na primeira final da Copa Sul-americana, em La Bombonera, e se disse ainda dolorido do confronto no dia anterior.

"Teve cotovelada, pontapé sem bola. Esse é o jogo deles", disse o jogador, que teve as canelas machucadas pelos adversários. "As duas estão doendo bastante. Uma rasgou e sangrou bastante. Tenho que descansar e me recuperar para ficar inteiro para o próximo jogo".

Recurso tradicional no futebol sul-americano, em especial o argentino, a catimba do Tigre culminou na expulsão de Luis Fabiano. Aos 13 minutos, ele tentou revidar agressão do zagueiro Donatti e acabou expulso juntamente com ele. Para não perder outro jogador, o técnico Ney Franco reforçou pedido de calma ao time no intervalo.

"Ele já tinha pedido antes também, na palestra, para que a gente não entrasse no jogo deles. Infelizmente, o Luis perdeu a cabeça e agrediu o adversário. A gente não pode entrar nessa catimba. Eles vão vir para o Morumbi para tentar achar um gol e nos atrapalhar", comentou Osvaldo, antes de analisar o empate por 0 a 0.

"Até poderíamos ter saído de lá com um resultado melhor, uma vitória, porque, mesmo jogando fora de casa, nossa equipe sempre busca o resultado. Mas, pela circunstância, acabou sendo um bom resultado. Só dependemos de uma vitória simples para sermos campeões", concluiu.

Enquanto a vitória dá o título, um novo empate leva a decisão à prorrogação. Em caso de igualdade também no tempo extra, o campeão será conhecido na disputa por pênaltis.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade