Futebol/Copa Libertadores - ( )

Sem receio por mando, São Paulo promete vender ingresso em breve

São Paulo (SP)

O São Paulo aparentemente não teme perder mando de campo em razão dos incidentes ocorridos na final da Copa Sul-americana, contra o Tigre-ARG, no Morumbi. Se isso ocorresse, o clube seria obrigado a fazer fora de seu estádio a primeira partida da fase preliminar da Libertadores, diante do Bolívar.

Em nota divulgada na tarde desta quarta-feira, a diretoria diz que “já está, inclusive, planejando as providências para organização da partida e, dentro em breve, irá informar aos torcedores as datas, horários e locais para venda de ingressos”.

A tranquilidade, de acordo com o texto, deve-se ao fato de não haver nenhuma decisão proferida pela entidade que “mencione possibilidade de alteração de local” do jogo de 23 de janeiro.

A Conmebol, no entanto, apura a briga entre jogadores do Tigre e seguranças do São Paulo na final do torneio sul-americano, disputada há duas semanas. A documentação levantada será repassada ao Tribunal de Disciplina, que deve julgar o episódio no próximo mês.

Enquanto a diretoria do Tigre alega que seus atletas foram agredidos pelos seguranças, o São Paulo diz que seus funcionários simplesmente contiveram tentativa dos jogadores da equipe argentina de invadir o vestiário mandante do Morumbi.

O tribunal responsável por analisar o ocorrido terá como representante brasileiro Caio César Rocha, vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). De acordo com a entidade, ele será presidente do processo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade