Futebol/Torneio Internacional Cidade de São Paulo - ( - Atualizado )

Cristiane nega ‘fim do mundo’ ao assumir a culpa em pênalti perdido

Edoardo Ghirotto, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

O clima de velório que se instaurou nos vestiários da Seleção Brasileira de futebol feminino contagiou até mesmo as jogadoras mais experientes da equipe nacional. Destaque negativo na derrota por 2 a 1 para o México, nesta quinta-feira, a centroavante Cristiane assumiu a responsabilidade pelo pênalti perdido no segundo tempo, mas negou que o revés seja o ‘fim do mundo’ para o time de Márcio Oliveira.

“Quem bate pênalti é indiferente. A Marta disse para eu cobrar e acabei errando. Eu me responsabilizo por isso, mas não é o fim do mundo”, bradou a camisa 11 da Seleção. “Não dá para colocar a responsabilidade só em cima disso. Foram os nossos erros e espaços dados ao adversário que nos atrapalharam nesta partida.”

Cristiane foi alvo de críticas depois de ter perdido um pênalti no Mundial de 2011, contra os Estados Unidos. Considerada peça chave no esquema tático do então técnico Jorge Barcellos, a jogadora deixou de atuar ao lado de Marta e passou a formar dupla de ataque com Débora, após a chegada de Márcio Oliveira ao comando da Seleção.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Após chutar um pênalti para fora, Cristiane ganhou o apoio do técnico Márcio Oliveira na Seleção Brasileira
Apesar de a nova formação ter surtido efeito na goleada por 4 a 0 sobre Portugal, no último domingo, a sua eficiência foi colocada em xeque após o tropeço diante de um time teoricamente mais fraco. Agora, uma nova conversa definirá o futuro da Seleção no Torneio Internacional Cidade de São Paulo. Com três pontos, o Brasil precisará vencer a Dinamarca, no fim de semana, para avançar à final sem depender de outros adversários.

“Se ganha, ganha todo mundo. Se perde, perde todo mundo. Tem que ter calma. Perdemos um jogo que estava na nossa mão e vamos ajustar tudo com muito equilíbrio. Vamos dar uma folga para as meninas nesta sexta-feira e bater um papo com elas. Voltaremos aos treinos em dois períodos no sábado e trabalharemos para superar a Dinamarca”, tranquilizou Márcio Oliveira, que, nesta quinta-feira, fez apenas o seu segundo jogo à frente da Seleção.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade