Futebol/Torneio Internacional Cidade de São Paulo - ( - Atualizado )

Estrelas da Seleção elogiam inovações em estreia de Márcio Oliveira

Edoardo Ghirotto, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

O primeiro jogo sob o comando do técnico Márcio Oliveira obteve resultado satisfatório para as principais estrelas da Seleção Brasileira de futebol feminino. Embora as inovações feitas pelo treinador tenham desfeito a dupla mantida há mais de uma década no ataque canarinho, Marta e Cristiane elogiaram a ousadia apresentada na goleada por 4 a 0 sobre Portugal, no último domingo.

Ao buscar uma nova forma de jogar contra o time europeu, Márcio Oliveira deslocou Marta para o meio-campo e manteve Cristiane ao lado de Débora, que se destaca por ser outra centroavante de ofício. A mudança contribuiu para a dupla de área criar novas chances de chegar ao gol, mas também dificultou a adaptação da própria Marta ao esquema tático.

“Este é um novo sistema que nós nem chegamos a treinar direito com ele. Eu jogo ao lado da Marta há 12 anos e é uma coisa diferente você notar essa mudança. Eu vou até a linha de fundo e não a vejo chegando quando estou correndo. Tentamos manter o que eles passaram pra nós e vamos nos adaptar com o tempo”, afirmou Cristiane.

Assim como a camisa 11 da Seleção, Marta também anotou um gol contra Portugal e minimizou a sua atuação apagada no primeiro tempo. “Foi uma forma diferente de se jogar. Eu estive mais atrás e ajudei na marcação também. É uma situação nova e conta com meninas que foram convocadas pela primeira vez. Não estamos satisfeitas, porque ainda falta muito a se fazer. Mas fizemos um grande papel neste primeiro jogo.”

O elástico placar obtido no primeiro jogo do Torneio Internacional Cidade de São Paulo manteve a confiança de Márcio Oliveira em sua estratégica mudança tática. Caso o rendimento da equipe nos treinamentos seja proveitoso, a formação colocada à prova contra Portugal tem grandes chances de ser repetida na próxima quinta-feira, na partida diante do México, no Pacaembu.

“Conseguimos um poder de foro maior e elas fizeram o que nós propusemos antes do jogo. Estamos começando um novo trabalho e as mudanças precisam ser devagar. Não se pode enfiar goela abaixo para não confundir todo o time. Vamos manter os nossos pés no chão e organizar tudo dentro do seu tempo”, concluiu o cauteloso treinador.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade