Tênis/Federer Tour - ( - Atualizado )

Dona de marca de lingerie, Wozniacki minimiza assédio e mira 1º Slam

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

Ex-líder do ranking mundial, a dinamarquesa Caroline Wozniacki procura capitalizar com a fama internacional. Enquanto pensa em conquistar o primeiro Grand Slam da carreira, algo condizente com a posição que já alcançou na lista da WTA, ela cuida de sua marca de lingerie.

Desinibida, a tenista de 22 anos chegou a protagonizar uma sessão de fotos para divulgar a This is Me, sua marca de roupas íntimas. Após perder da russa Maria Sharapova o jogo festivo disputado no Ginásio do Ibirapuera nesta sexta-feira, a dinamarquesa manifestou o desejo de trazer a linha de lingerie ao Brasil.

“Roupa íntima é algo que toda mulher precisa usar, então o conforto é mais importante que o lado estético. Como não tive que mostrar muito nas fotos (que fez para o ensaio de divulgação), foi mais tranquilo. Quero trazer a marca para o Brasil”, afirmou a tenista.

O publico encheu apenas parcialmente as arquibancadas do Ginásio do Ibirapuera para acompanhar o duelo de musas disputado na noite desta sexta-feira. Em alguns momentos da partida, Sharapova e Wozniacki ouviram assobios e gritos de seus admiradores.

Djalma Vassão/Gazeta Press
A bela dinamarquesa Caroline Wozniacki, 22 anos, possui uma marca de lingerie e tem planos de trazê-la ao Brasil
“É melhor ouvir assobios do que vaias. Isso faz o jogo ficar mais interessante para a plateia. Gostei muito do público, são todos muito abertos. Com certeza, as Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro serão incríveis para os atletas”, declarou a musa, acompanhada em sua viagem ao Brasil pelo golfista irlandês Rory McIlroy, seu namorado.

Apesar de ter alcançado a liderança do ranking mundial, Wozniacki jamais conquistou um Grand Slam, o que se traduz na principal crítica à sua carreira – o máximo que a dinamarquesa conseguiu foi disputar a final da edição de 2009 do Aberto dos Estados Unidos, vencida pela belga Kim Clijters.

“Pouca gente já terminou a temporada como número 1 do mundo”, valorizou a dinamarquesa, que tem mais três semifinais em torneios do Grand Slam. “Sou jovem e tenho muito tempo para conquistar meus objetivos. Sempre entro em quadra para dar o máximo e seu que minha hora vai chegar”, completou, esperançosa.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade