Tênis/Federer Tour - ( - Atualizado )

Tsonga aprova “sauna” e projeta evolução física para alcançar tops

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

As altas temperaturas em São Paulo nos últimos dias transformaram o Ginásio do Ibirapuera em uma sauna para os tenistas que participam do Federer Tour, iniciado na última quinta-feira. Um dos astros do evento, o francês Jo-Wilfried Tsonga aprova a situação e projeta evoluir fisicamente para alcançar os tops do ranking mundial.

“Eu senti muito desconforto, especialmente no começo da partida”, disse o francês, algoz do brasileiro Thomaz Bellucci nesta sexta-feira. “Mas isso é bom, porque serve como preparação para o Aberto da Austrália. Agora, na Europa as temperaturas estão muito baixas e é impossível treinar ao ar livre”, explicou.

Nascido na cidade francesa de Le Mans, o tenista usa o verão do hemisfério sul para se aclimatar ao primeiro Grand Slam da temporada, com início previsto para o próximo dia 16 de janeiro, na calorosa Melbourne. Para subir ainda mais no ranking mundial, é fundamental evoluir fisicamente, diz o francês.

“Quero jogar no mesmo nível do Federer, Nadal e Murray. Acho que tenho tênis para isso, mas preciso ser fisicamente forte como eles. O Federer é um grande tenista, mas também é um atleta muito bom. Parece fácil fazer o que ele faz, mas não é. Está sempre em uma boa posição e se movimenta muito bem”, exemplificou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Em pré-temporada para 2013, Jo-Wilfried Tsonga vê o calor de São Paulo como preparação para a Austrália
Atual oitavo colocado do ranking mundial, Jo-Wilfried Tsonga alcançou a quinta posição da lista da ATP no último mês de fevereiro. O francês disputou a única final de Grand Slam de sua carreira na edição de 2008 do Aberto da Austrália, vencida pelo sérvio Novak Djokovic.

Além do trabalho físico, ele aposta na parceria com o técnico australiano Roger Rasheed, responsável por conduzir o compatriota Lleyton Hewitt à liderança do ranking mundial. “Nos últimos dois meses, estava tentando achar motivação e para mim é importante ter alguém para me puxar”, disse Tsonga em alusão a seu treinador, contratado em outubro.

Um dia antes de encerrar sua participação no Federer Tour diante do astro suíço, Tsonga ainda disse aprovar a atmosfera encontrada no torneio disputado em São Paulo. “Não sou apenas um jogador de tênis. Sou um humano como todos aqui e também gosto de curtir a vida, apesar de poder fazer pouco isso pela minha profissão. Espero voltar ao Brasil de férias no futuro”, disse.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade