Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Dinamite vê Romário deslumbrado e já cogita derrubar sua estátua

Rio de Janeiro (RJ)

Ao atacar Roberto Dinamite e diretores do Vasco pela saída de seu filho do clube, Romário disse que esperava uma resposta. E o presidente a deu. Roberto Dinamite alega ter atendido a um pedido do ex-atacante, que considera estar deslumbrado como deputado federal, e admite estudar a possibilidade de derrubar sua estátua em São Januário.

Parte da torcida vascaína defende que o monumento em homenagem a Romário, construído na gestão do ex-presidente Eurico Miranda após o ex-jogador ter marcado seu milésimo gol marcado na carreira, seja trocado por outro de Edmundo. E Dinamite cogita atender ao menos parte do pedido, retirando o Baixinho da frente do estádio cruz-maltino.

“A decisão não é do Roberto, mas vou pensar. Os atletas que passaram pelo clube merecem ser respeitados, mas o clube é maior do que tudo e tem que ser respeitado. Vou agir dentro do que considerar ser o melhor em respeito à instituição. O Vasco está acima do Roberto, do Romário, de todos”, disse Roberto Dinamite, falando em terceira pessoa à rádio Globo.

Em relação às acusações do político por conta da saída de Romarinho, Dinamite divulgou uma carta dizendo-se surpreso. “Talvez o primeiro ano de mandato do deputado Romário o tenha feito agir de maneira deslumbrada”, escreveu o presidente, que teve seu desempenho como deputado estadual contestado pelo Baixinho.

Montagem sobre fotos Divulgação
Romário atacou Dinamite pela saída de seu filho do Vasco, mas presidente diz que pedido partiu do deputado
Segundo o presidente, a saída de Romarinho foi solicitada pelo próprio Romário. “Apenas acatei um pedido que ele fez ao nosso coordenador das categorias de base, Mauro Galvão, quando solicitou a liberação do filho para o Brasiliense, a fim de ganhar novas experiências e oportunidades. O Club de Regatas Vasco da Gama se orgulha em ter revelado o Romarinho e deseja muito sucesso na sua promissora carreira.”

Colocando-se também como ídolo – “tive o privilégio de jogar e orgulho por auxiliar no início de sua carreira vitoriosa” –, Dinamite afirmou que compreende a preocupação do deputado com o Vasco. Mas defendeu o ex-jogador Sorato, hoje técnico na base cruz-maltina e criticado por Romário por ser “mandado pelo presidente do clube”.

“A decisão de quem joga na equipe juniores é exclusiva do Sorato, também ídolo cruz-maltino, autor do gol do título brasileiro de 1989 e um profissional competente, capaz de exercer a função da melhor forma”, respondeu Dinamite, negando qualquer privilégio ao seu filho, Rodrigo Dinamite, também na base vascaína.

Veja a íntegra da carta divulgada por Roberto Dinamite:

“Fiquei surpreso ao ver a reação intempestiva do Romário, jogador com o qual tive o privilégio de jogar e orgulho por auxiliar no início de sua carreira vitoriosa. Assim como ele, fui jogador de futebol e fiz história no Vasco da Gama, sendo assim, compreendo sua preocupação com o clube.

Entendo principalmente a apreensão com o futuro do seu filho, afinal também sou pai e tenho um garoto jogador passando por momento semelhante ao de Romarinho. A decisão de quem joga na equipe juniores é exclusiva do Sorato, também ídolo cruz-maltino, autor do gol do título brasileiro de 1989 e um profissional competente, capaz de exercer a função da melhor forma.

Talvez o primeiro ano de mandato do deputado Romário o tenha feito agir de maneira deslumbrada. Apenas acatei um pedido que ele fez ao nosso coordenador das categorias de base, Mauro Galvão, quando solicitou a liberação do filho para o Brasiliense, a fim de ganhar novas experiências e oportunidades.

O Club de Regatas Vasco da Gama se orgulha em ter revelado o Romarinho e deseja muito sucesso na sua promissora carreira.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade