Futebol/Campeonato Mineiro - ( )

Sem temer Alecsandro, Jô afirma que não há cadeira cativa no time

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

A chegada do atacante Alecsandro ao Atlético-MG promete acirrar a briga pela titularidade no setor ofensivo do Galo. Isso porque, o clube já conta com o avante Jô, que foi dono da posição em 2012, mas que terá que suar a camisa para manter a condição nesta temporada. Jô encara com naturalidade a concorrência, e afirma que a dor de cabeça ficará para o técnico Cuca.

"Excelente atacante, mais uma dor de cabeça para o Cuca, mas sabemos que para alcançar algumas coisas precisa ter opção, ano passado a gente tinha qualidade, e em alguns lugares sentiu falta, eu tenho de brigar, lutar e respeitar o Alecsandro, que é um grande jogador", declarou.

Jô acredita que não terá vantagem na disputa da posição por já estar no elenco desde o ano passado. Para ele a disputa por um lugar no time começa do zero. "Na minha cabeça, acho que começa do zero, fiz um trabalho no meu modo de vista bom, mas se eu pensar que vou ser titular por estar no Atlético-MG no ano passado vou sair atrás, mas acho que começa do zero, preciso mostrar para o Cuca a minha qualidade", disse.

Para Jô, nem mesmo o craque Ronaldinho Gaúcho tem lugar garantido no time atleticano. “Cada um tem que buscar o seu lugar. Ninguém aqui tem cadeira cativa. Nem o Ronaldinho. Tem jogadores de qualidade aqui que querem ter espaço. Temos que trabalhar muito para ajudar o Atlético-MG”, comentou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade