Basquete/LBF - ( )

Estreante, Sport se sentiu prejudicado pela saída de patrocinador

Bruno Bataglin e Lucas Besseler, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Apontado pelo próprio Zanon, técnico do atual campeão, como um dos principais favoritos a desbancar o Americana na luta pelo título, o Sport (PE) não mantém a mesma postura com relação à saída da Eletrobrás. Segundo o técnico Roberto Dornelas, todo o planejamento da equipe pernambucana quase foi por água abaixo após a desistência da estatal.

“Eu sou muito cético em acreditar que as empresas, principalmente as do governo, que deveriam por obrigação apoiar o esporte por conta da Copa do Mundo e das Olimpíadas, não podem nunca chegar e dizer de uma hora para outra que não irão mais patrocinar. Deveria ter no mínimo um ano de aviso prévio. A saída da Eletrobrás foi muito ruim para o esporte, para a imagem do basquete feminino e para a imagem do Brasil. Essa saída de repente foi um absurdo. Se a empresa está passando por uma dificuldade, avise antes e dê um prazo para o planejamento dos clubes, porque a Liga quase acabou”, reclama.

“Toda a programação foi montada para o início de dezembro, física e técnica. Isso prejudicou todo mundo, ainda mais equipes como nós que não são semifinalistas de competições que vão até em dezembro, como o Campeonato Paulista. Isso atrapalha”, completa.

Contando com Adrianinha, Érika e Franciele, vindas do basquete europeu, além de Alessandra (ex-São José), Palmira (ex-Catanduva), Vanessa (ex-Guarulhos), e as norte-americanas Skylar Collins e Alex Montgomery, o Sport faz a sua primeira temporada na LBF e já é apontado como um dos favoritos ao título. Para Dornelas, a experiência do elenco não o preocupa com relação a pressão pelo favoritismo. Outro fator, no entanto, pode influenciar negativa ou positivamente no desempenho das atletas dentro de quadra.

“A questão da pressão não existe por conta do grupo que a gente formou, um grupo experiente. O que existe é ansiedade. Há muito tempo que Érika e Adriana não jogam no Brasil, e elas estão ansiosas para isso. Mas são atletas com uma bagagem internacional muito grande, e não nos preocupam. A pressão talvez maior seja que nenhuma delas defendeu um clube ligado também ao futebol, com torcida. A cidade abraçou a causa do Sport. Fizemos um amistoso na semana passada e elas sentiram o calor, o fanatismo de uma torcida de futebol”, relata.

Curiosamente, a equipe estreia na competição contra o atual campeão Americana, em um dos duelos mais aguardados do nacional. “Infelizmente no sorteio encaramos Americana na primeira fase. Esta era uma partida que tinha que fechar o primeiro turno. Mas talvez seja o cartão de visitas pra quem gosta de basquete. A LBF está precisando muito do apoio da torcida”, afirma Dornelas. “Estão colocando o favoritismo sobre a gente pelo nome das atletas, mas ainda coloco Americana em um patamar acima. Há três anos que o elenco é o mesmo, só se completa com novas jogadoras. Além disso, a equipe é entrosada e já passou por n situações”, completa.

Apesar de creditar o rival da estreia ao bicampeonato da Liga, Dornelas crê que o alto nível das equipes deve deixar o nacional muito mais acirrado do que na última edição, dominada pelo Americana. Para ele, quase todos os times tem condições de chegar à fase eliminatória com força.

“A Liga vai estar muito equilibrada. Americana, Sport e Maranhão se credenciam a ficar entre as três primeiras pelos nomes de suas atletas. Mas não podemos esquecer de Santo André, São José e do próprio Ourinhos, que perdeu suas jogadoras, mas já montou outro time forte. Certamente essas equipes lutarão na parte de cima da tabela, podendo desbancar as favoritas e conseguir uma segunda ou terceira colocações na primeira fase”, avalia.

Já o presidente da LBF, Márcio Cattaruzzi, mantém ainda mais cautela que Dornelas ao apontar um possível desfecho para a competição. “Se eu falasse em uma equipe favorita para levar o título, não ia dar certo. No ano passado eu teria errado, no ano retrasado também (risos). Então eu acho que tem quatro ou cinco times com chances de ganhar o título”, afirma.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade