Futebol/Bastidores - ( )

Após invadir o Japão, Fiel reclama do preço na estreia em Jundiaí

Bruno Grossi, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Se entre os mais de 30 mil torcedores do Corinthians que invadiram o Japão durante a conquista do Mundial de Clubes houve quem vendesse bens materiais e abrisse mão até de lua de mel, os preços dos ingressos para a estreia do Timão no Campeonato Paulista não motiva os fiéis torcedores para tantas loucuras.

O Timão faz sua primeira partida com o status de campeão mundial e a primeira de 2013 neste domingo, às 17 horas (de Brasília) no estádio Jayme Cintra, em Jundiaí. Aproveitando o momento e buscando aumentar a renda em um confronto contra uma grande equipe, a diretoria do Paulista elevou o preço dos ingressos, custando R$ 50 (R$ 25 a meia) para arquibancada e R$ 100 (R$ 50) para as cadeiras especiais.

Além disso, a escalação de um time reserva projetada por Tite sem as principais estrelas do Mundial e o recém-contratado Alexandre Pato não ganhou a mobilização dos filiados à sede principal da torcida organizada Gaviões da Fiel. Apesar da distância de cerca de 60km entre Junidiaí e a capital paulista, a viagem para o interior, partindo da sede no Bom Retiro, não ganhou muitos adeptos até o fim da tarde de sexta-feira.

“O preço do ingresso atrapalha. Acredito que, no máximo, dois ônibus devem sair daqui. Pelo preço do ingresso, temos que cobrar menos do ônibus e aí temos prejuízo. O preço é caro, o jogo é o primeiro do campeonato, não vale muita coisa, então fica complicado”, justificou Érica, responsável por organizar a caravana corintiana e que lembrou que a torcida deve fazer uma grade recepção para a primeira partida no Pacaembu, marcada para a próxima quarta, às 17 horas, contra a Ponte Preta.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Torcida corintiana impressionou o mundo ao comparecer em massa nas ruas e estádios japoneses
Se os torcedores da capital não devem comparecer em peso no Jayme Cintra, a expectativa é que a torcida que mora em Jundiaí, que conta até com uma subsede da Gaivões da Fiel, e em cidades vizinhas lote o estádio. A quantidade de corintianos na região, inclusive, é uma das razões para que a diretoria do Paulista tenha elevado o preço das entradas para a 1ª rodada do Estadual. O fato de enfrentar o atual campeão do mundo, no entanto, não garante tratamento especial ao Corinthians.

“Não tem nenhuma preparação diferenciada, nenhuma ação. Colocamos uma carga de 12 mil ingressos e esperamos um bom público para ter uma boa renda. A torcida já está acostumada, porque sempre contra os grandes tem sido. Se forem vendidos 9 mil ingressos, já estará ótimo. A expectativa é que até domingo tudo esteja esgotado”, analisou Gabriel Goto, assessor de imprensa do Galo da Japi.

Pelo lado jundiaiense, a intenção é fazer frente à torcida do Timão, considerada uma das mais intensas nas arquibancadas. Para isso, cerca de 500 integrantes da Raça Tricolor prometem se reunir horas antes da partida para aquecer a voz e a bateria para pressionar os comandados de Tite das arquibancadas.

“Faremos uma concentração da torcida na sede, que é perto do estádio, para ensaiar a bateria, os gritos. Entraremos com a bateria e com fumaça tricolor. A torcida deles é tranquila, não temos rivalidade nenhuma. É um clima de respeito”, afirmou Rodrigo, presidente da organizada.

A última vez em que o Corinthians visitou o Galo da Japi no Jayme Cintra foi no Campeonato Paulista de 2011. As equipes se enfrentaram no dia 13 de fevereiro daquele ano e não saíram de um 0 a 0. Curiosamente, o lateral direito Weldinho, que defendia o Paulista, deve entrar em campo neste domingo improvisado na lateral esquerda corintiana.

Reprodução/Facebook
Torcida organizada Raça Tricolor faz os últimos ajustes para apoiar o Galo da Japi diante do Corinthians

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade