Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Blatter defende tecnologia no futebol e rebaixamento para racismo

Zurique (Suíça)

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, defendeu de maneira veemente nesta quinta a utilização da tecnologia no futebol. Em entrevista ao site da entidade, o dirigente citou o dispositivo que mostra se a bola passou ou não da linha do gol - usado no Mundial de Clubes do ano passado - como exemplo dos benefícios que tais inovações podem trazer ao esporte.

“Os árbitros disseram que é uma grande ajuda para eles. Essa é a solução para dizer se a bola entrou no gol. Pelas câmeras de televisão não dá para ver. (...) É só uma questão de tempo até isso ser adotados no principais campeonatos, já que é uma grande ajuda para os árbitros. Eu acredito até que esse dispositivo será o melhor juiz para dizermos se um gol foi ou não marcado”, disse, revelando que tal tecnologia será usada mais uma vez na Copa das Confederações, disputada no Brasil, em junho.

Outro problema relativo ao esporte, mas de diferente natureza, também pautou a entrevista de Blatter: o racismo dentro do esporte. Usando o exemplo do meia Kevin-Prince Boateng, do Milan, que abandonou uma partida no último dia 3 após ser alvo de gritos preconceituosos, o dirigente defendeu punições mais severas a casos que envolvam manifestações racistas.

“Sinto que deveríamos instruir as federações e confederações, sobretudo os comitês disciplinares, a serem bastante firmes. Não basta dar multa. Jogar sem torcida é uma das sanções possíveis, mas o melhor seria a perda de pontos e o rebaixamento da equipe, porque finalmente o clube seria responsável pelos seus espectadores”, encerrou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade