Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

De olho em meia, Fluminense diz que salário não vai impedir negócio

Rio de Janeiro (RJ)

Apesar de estar bem servido na posição, com Deco, Wagner e Thiago Neves, o Fluminense está em busca de um meia armador. Seja por lesões ou por convocações para a Seleção, o Tricolor carioca ficou carente na posição em alguns momentos da última temporada e está atrás de um reforço. Carlos Eduardo, Felipe e Riquelme estão na mira do clube das Laranjeiras e o alto salário desses jogadores não seria empecilho para o negócio.

“O critério é técnico, físico, de oportunidade e viabilidade. Não é o alto salário que vai excluir um jogador”, declarou o diretor de futebol do Flu, Rodrigo Caetano, em entrevista ao Extra.

O perfil que mais atenderia as necessidades tricolores seria o de Carlos Eduardo, o mais jovem entre os armadores (25 anos) e o que menos se envolveu em polêmicas na carreira. Atualmente no Rubin Kazan, da Rússia, o ex-jogador do Grêmio quer voltar ao Brasil em 2013 e está sendo disputado por Santos, Fluminense e Flamengo.

Riquelme, de 35 anos, não joga há seis meses e tem a maior pedida salarial (R$ 550 mil) enquanto Felipe, um ano mais novo, está livre para negociar, já que foi liberado pelo Vasco.

Apesar da busca pelo armador, a prioridade é a lateral esquerda e as negociações apontam para a chegada de Fabián Monzón, argentino que hoje atua no Lyon.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade