Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

'Filho de Peixe', Romarinho busca se firmar como profissional

Yan Resende, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

 Depois de passar pelas categorias de base do Vasco da Gama, Romário Júnior tem a primeira chance de jogar pelo futebol profissional. Anunciado no final de 2012, o jogador já está treinando no Brasiliense e foi regularizado na CBF como jogador do clube do Distrito Federal. Com 19 anos, o filho do Baixinho não esconde a ansiedade por estrear em um novo clube. “Estou muito feliz com a oportunidade e ansioso para começar logo o Campeonato Estadual pelo Brasiliense,” afirmou o atacante, em entrevista por telefone - ele ficou no time reserva nos primeiros treinos coletivos.

Divulgação
Perto de estrear no futebol profissional, Romarinho não esconde a ansiedade de atuar pelo Brasiliense

No último sábado, durante a estreia do Vasco pela Copa São Paulo de Futebol Júnior, Romarinho usou o twitter para relembrar a passagem pelo clube carioca. Perguntado como se sentiu no momento do jogo, ele ressaltou que a lembrança foi boa. “Ano passado eu estava estreando, fazendo gol e ajudando o Vasco a buscar a vitória. Uma lembrança boa é sempre bem-vinda”, recordou o garoto. Na ocasião, o jogador entrou no meio da partida e fez o gol que garantiu a vitória vascaína sobre o São Francisco-BA.

Divulgação
Desde 2007 no clube, Romarinho traz boas lembranças das categorias de base do Vasco.
Mas a passagem de Romarinho pelo Alto da Colina não foi marcada apenas por coisas boas. No ano passado, quando o jogador deixou o clube para atuar pelo Brasiliense, seu pai alegou que o atacante estava sofrendo retaliações dentro da base por ser ‘filho do Baixinho’. “A polêmica com o Dinamite começou depois que eu saí do Vasco, antes não tinha. Quando eu estava lá eu não fui aproveitado pelo técnico, mas não sei o motivo. Não sei se é pelas minhas características ou por causa da dívida com meu pai”.

Romarinho se lembra da dívida do clube com Romário, que hoje ultrapassa R$ 50 milhões e virou caso judicial na gestão de Roberto Dinamite, que já ameaçou, em certa ocasião, retirar a estátua do Baixinho de São Januário. O deputado federal pelo Rio de Janeiro ganhou na Justiça, em agosto de 2012, a penhora de 5% dos direitos econômicos de quatro jogadores do clube.

Apesar da briga entre os pais, os filhos de Romário e Dinamite sempre cultivaram uma boa amizade. Mesmo longe do amigo neste momento, Romarinho faz questão de garantir que a relação continua igual. “A amizade é a mesma, desde que eu comecei a carreira nós jogamos juntos e não vai mudar”, disse o atleta que atuou pelas categorias de base do Vasco desde 2007, criando vínculos com os meninos de São Januário.

Nascido em Barcelona, o menino não se esconde da responsabilidade de ser filho do Romário. O jogador sabe que não é como os outros de sua idade, pois há uma pressão maior desde o início de sua carreira. “A pressão é muito grande. Desde que eu comecei minha carreira é assim, e isso não vai atrapalhar agora”, admitiu.

Divulgação
O jogador busca uma vaga no time titular do Brasiliense, que estreia no dia 19 de janeiro.

Diante dos atuais problemas econômicos vividos pelo Vasco, sintetizados pela saída de jogadores importantes, Romarinho alega que a base nunca teve problemas em relação a isso, e mantém a mesma estrutura desde a gestão de Eurico Miranda. “A base sempre foi do mesmo jeito, nunca sofreu com crise financeira. Desde a época do Eurico é assim, tirando os salários atrasados. Não tenho nada a reclamar.”

O primeiro compromisso do Brasiliense no Campeonato Estadual será no dia 19 de janeiro, em casa, contra o Brasília. O jogo pode marcar a estreia de Romarinho no Estadual. Se o desempenho for o mesmo de quando fez a primeira partida pelo Vasco, na Copa São Paulo de Futebol Júnior, o torcedor do Jacaré já pode esperar por gols do filho do Baixinho.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade