Futebol/Campeonato Francês - ( - Atualizado )

Lucas culpa frio de Paris por cãibras e promete arrancadas no PSG

Paris (França)

Finalmente Lucas fez sua estreia com a camisa do Paris Saint-Germain. Contratado desde o meio do último ano pelos valores mais altos da história do futebol brasileiro, o meia-atacante mostrou raça aos torcedores que lotaram o Parque dos Príncipes, arriscou algumas jogadas em velocidade e acabou deixando o gramado após sentir cãibras.

Ao término do empate sem gols com o modesto Ajaccio, o ex-jogador do São Paulo se mostrou satisfeito com o rendimento em sua estreia na capital francesa e garante que seguirá com suas tradicionais arrancadas. Ciente das responsabilidades táticas do futebol europeu, o camisa 29 promete escolher o melhor momento para jogadas individuais ou para servir seus companheiros.

"Procurei fazer tudo aquilo que chamou a atenção deles e me trouxe até aqui. Minha característica sempre de foi partir para cima com a bola dominada e tentei fazer isso hoje. Claro que, às vezes, tenho que dosar, pois nem sempre é a hora de correr, tem momento que é melhor passar. Mas, sempre que tiver oportunidade, vou tentar. O torcedor quer ver isso", analisou o jogador de 20 anos ao SporTV.

Como disputou a final da Copa Sul-americana e, poucos dias depois, se apresentou ao PSG para inter-temporada em Doha, no Catar. Com pouco tempo para se recuperar de um ano cheio de partidas e com disposição na marcação fora do usual, Lucas acabou sentindo no final da partida e teve de ser substituído por Kevin Gameiro após reclamar de cãibras.

“Estou bem tecnicamente, mas fisicamente tenho que melhorar ainda. Creio que minha juventude irá ajudar. Vou procurar trabalhar e melhorar cada dia. Estou 100%, a cãibra é normal do jogo, até pelo frio que estava", ressaltou o meia-atacante.

Mesmo com o moral dado pelo técnico Carlo Ancelotti, que o garantiu como titular logo na estreia, o brasileiro mostra humildade e se coloca à disposição do comandante para se firmar na equipe. "Vamos esperar os treinamentos agora. Se ele (Ancelotti) precisar, estou à disposição. Vamos ver de acordo com os treinos. Mas, se precisar de mim, quero jogar sempre", destacou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade