Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Muricy afirma que Robinho precisa "abrir mão de algo" para retornar

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

Após acertar a contratação do meia argentino Montillo, junto ao Cruzeiro, e buscar acordos para a chegada de novos reforços, o Santos já não vê com o mesmo entusiasmo de antes a negociação para repatriar o atacante Robinho. Com o Peixe enfrentando dificuldades para chegar aos valores pretendidos pelo Milan (Itália) - 10 milhões de euros (cerca de R$ 27 milhões) -, atual clube do Rei das Pedaladas, além do pedido salarial feito pelo jogador, o técnico santista, Muricy Ramalho, acredita que Robinho poderia colaborar para que as tratativas tivessem um desfecho positivo.

Para o treinador, o Rei das Pedaladas precisa abdicar de alguns fatores, se quiser retornar ao futebol brasileiro. “É difícil opinar, ainda mais sobre problemas financeiros, que não é a minha área. Só que, com esses valores que estão sendo falados, para o futebol brasileiro, não dá. Os clubes estão investindo muito, mas não nesse nível. E para voltar, você precisa abrir mão de alguma coisa”, afirmou.

Nas conversas que tiveram com Robinho, os dirigentes alvinegros ouviram do atleta o desejo de receber R$ 1,1 milhão por mês. Esse valor seria referente a quantia livre de impostos para o atacante. No total, o montante mensal chegaria a R$ 1,8 milhão.

AFP
Para voltar ao Santos nesta temporada, o atacante Robinho tem que abrir mão de salário alto, segundo Muricy
Muricy continuou no assunto e citou que muitos jogadores que estão no exterior pensam em voltar ao país, com o intuito de atuarem mais regularmente, de olho em uma convocação para a Seleção Brasileira. Afinal, a próxima Copa do Mundo, em 2014, será realizada no próprio Brasil.

Por essa razão, o comandante crê que os atletas devem dar um passo a frente, facilitando as transações. “Muitos querem voltar da Europa porque estão olhando a possibilidade de defender a Seleção. Só que se você quer realmente voltar para o futebol brasileiro, tem que apostar nisso. Às vezes, é melhor abrir mão de um pouco do salário. O clube não traz algum jogador assim porque é realmente impossível, o nível de salário é altíssimo. Se chegar no Santos e em qualquer outro lugar, ninguém vai pagar isso o que estão pedindo”, comentou.

Apesar disso, Muricy Ramalho garantiu que ainda tem esperanças de ver o Rei das Pedaladas na Vila Belmiro, em 2013. “O Robinho sempre foi o nosso primeiro nome, desde o fim da temporada passada. Ele é o sonho do Santos, mesmo com os valores envolvidos sendo muito altos. Mas, enquanto existir isso (hipótese de repatriá-lo) , a gente tem esperança ainda. Só que é uma coisa muito difícil, pelo preço e pelo salário”, finalizou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade