Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Paysandu faz acordo por dívidas e evita leilão de sede social

Belém (Pará)

Antes do jogo contra o Cametá pelo Campeonato Paraense, o Paysandu conseguiu uma vitória fora de campo. Nesta quinta-feira, o clube fez um acordo na 6ª vara da Justiça do Trabalho do Pará para renegociar dez dívidas. A maior delas, do meio-campista Arinelson, ameaçou levar a sede social bicolor a leilão.

De acordo com o Diário Online, o Papão acertou dívidas com dez reclamantes. Os maiores valores a serem pagos são os R$ 3,6 milhões a Arinelson a ser pago até março de 2018 e o R$ 1,8 milhão ao veterano meia Jobson a ser quitado até julho de 2016.

Além dessas dívidas, o clube também acertou R$ 247 mil para o ex-funcionário Raimundo Ismaelino da Costa em 33 parcelas, R$ 207 mil para o ex-atacante Balão em 69 parcelas, R$ 172,5 mil para o goleiro Alexandre Favaro em 23 parcelas, R$ 96 mil para Gledson Santana da Costa em 32 parcelas, R$ 90 mil para o preparador de goleiros Edson Cimento em 30 parcelas, R$ 63 mil para Jorge Façanha em 21 parcelas e R$ 51 mil para o goleiro Paulo Wanzeler em 16 parcelas.

O departamento jurídico bicolor também quitou débito de R$ 25 mil com o professor de handebol Meyder Joaquin Santos Barata. No total, a renegociação deve fazer o Paysandu economizar cerca de R$ 2 milhões além de suspender o leilão da sede social do clube.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade