Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Pouco aproveitado em 2012, Jéferson espera um ano melhor no Bahia

Salvador (BA)

Buscando novos reforços para 2013, o Bahia tem em seu elenco jogadores que vieram para ajudar o clube na última temporada, mas que foram pouco utilizados. É o caso do meia Jéferson, que está no Tricolor há uma ano, ficou um bom tempo fora por lesões e, somando seu tempo dentro de campo, não jogou nem 90 minutos pelo clube.

No time ainda comandado por Joel Santana, o atleta chegou para ser titular e se machucou logo no primeiro treinamento coletivo do ano, o que fez com que o jogador ficasse sete meses no departamento médico. Superado o desafio, Jéferson quer um ano bem melhor do que foi 2012. “Não quero lembrar do ano passado. Ano novo, vida nova. Esquecer tudo o que passou. São obstáculos e este ano quero que seja diferente”.

O jogador rompeu o ligamento do joelho esquerdo e foram necessários meses de fisioterapia e musculação para que ele pudesse voltar aos gramados. Mesmo assim, a volta foi difícil, principalmente, pelo receio de se machucar de novo. “Tinha alguns medos, até na hora de chutar, que é uma característica minha”.

“A pior parte foi no dia em que eu me machuquei, que meus pais estavam aqui e eles estavam acompanhando o treino. Ver meu pai e meu irmão chorando foi muito difícil”, declarou o meia, que ressaltou a importância da família no processo de recuperação, inclusive, seu irmão, formado em educação física, o ajudou para que ele readquirisse melhores condições para voltar a jogar.

“Nas férias eu busquei fazer um trabalho diferenciado para que quando eu chegasse aqui e não tivesse nenhum tipo de problema. Hoje, a confiança está bem diferente. Claro que tem que ter cautela, fiquei o ano todo sem jogar, mas eu quero fazer essa pré-temporada bem feita para que no decorrer do ano eu não tenha nenhum tipo de problema”, afirmou Jéferson, já ansioso com o início da nova temporada.

Em 2012, o atleta só participou dos jogos contra o Atlético-GO e Grêmio, que terminaram empatados. Somando o tempo jogado, o atleta esteve em campo por 73 minutos. O meia, que chegou para ser titular, hoje, com Jorginho, não tem vaga garantida, mas espera mostrar um bom futebol para conquistar a confiança do treinador.

“Vai depender do que eu apresentar. Eu tenho que jogar se eu tiver condição de jogar. Quero ganhar a posição lá dentro. O meu principal foco é, primeiro, não ter mais nenhum tipo de problema”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade