Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Presidente do Cruzeiro afirma que foi forçado a vender Montillo

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, afirmou que a venda do argentino Montillo para o Santos foi uma decisão do jogador e do empresário do atleta, que segundo o mandatário cruzeirense forçaram a saída do jogador. Gilvan disse ainda, que ficou sabendo que Montillo já havia feito exames médicos no Peixe, e que a decisão de sair da Raposa já estava tomada.

“Ele estava contrariado, não queria ficar no Cruzeiro, eu obtive informação que o Montillo já tinha feito exame médico no Santos e já tinha matriculado os filhos deles em uma escola de Santos. O próprio Montillo entrou em contato com o clube pedido para ser negociado, e seu empresário fez muita pressão, forçando a saída do Montillo”, declarou.

Questionado sobre os valores da negociação, Gilvan Tavares não quis confirmar os € 6 milhões, por 60% dos direitos econômicos de Montillo, que pertenciam ao Cruzeiro. O dirigente disse apenas que o Santos pagou à vista, e que não tinha como o Cruzeiro recusar a oferta santista.

“Sobre os valores da negociação não posso falar por força de contrato. Eles pediram sigilo, porque estão negociando com outros jogadores, e a divulgação dos valores poderia atrapalhar. O Santos pagou à vista o que o Cruzeiro queria, o Santos já havia chegado a estes valores, porém, parcelado, o que não aceitamos na época, desta fez não teve jeito”, disse.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade